Uma chopper de corpo e alma

Uma chopper de corpo e alma

Rodamos com a moto Original, fabricada pela Orange County Choppers, da família Teutul, que está no Brasil participando do São Paulo Moto Festival

INFOMOTO

As obras-de-arte sobre duas rodas assinadas pela Orange County Choppers (OCC), oficina de customização liderada por Paul Teutul Sr., Paul Jr. e Mikey, são admiradas por milhões de telespectadores. Afinal há seis anos a família Teutul estrela o reality show “American Chopper”, transmitido pelo Discovery Channel. Poucos dos fãs da série de TV sabem como é acelerar de verdade uma das motocicletas da grife OCC. Mas nós, da INFOMOTO, tivemos o privilégio de pilotar uma das criações com a assinada pelos famosos customizadores. Pelo segundo ano consecutivo, o clã Teutul, do Estado de Nova Iorque (Estados Unidos), vem ao Brasil. Em 2007 participaram do Brasília Music Festival Moto. Neste ano estão de volta ao País para o São Paulo Moto Festival, que acontece entre 5 e 7 de setembro no Autódromo de Interlagos (SP). Na lendária pista tivemos o prazer de experimentar o modelo Original, uma chopper de corpo e alma que, apesar de constar na linha de motocicletas em “série” da oficina, traz muita exclusividade. Acelere com a gente. Um convite a acelerar Com um ângulo de cáster de 45°, o garfo telescópico da suspensão dianteira se estende lá na frente, no melhor estilo chopper, dando asas à imaginação dos motociclistas estradeiros. Um convite a subir na moto e acelerar, sem destino, em uma longa highway norte-americana.

O desejo aumenta ainda mais quando se desperta o motor de dois cilindros em “V” fabricado pela americana S&S com 100 polegadas de capacidade cúbica – cerca de 1630 cm³. Pelas duas ponteiras de escape sai um ruído forte e compassado. Indicando que estava na hora de engatar a primeira marcha e rodar. Missão um pouco difícil para os meus 1,71 m já que as pedaleiras e os pedais de câmbio e freio são bem avançados. Mas depois de alguns metros me posicionei confortavelmente no banco da grife Danny Gray com as pernas e braços esticados. Isso graças ao guidão fabricado pela própria OCC, assim como muitos outros detalhes do modelo Original – do quadro às rodas cromadas – que são feitos pelas hábeis mãos da família Teutul.

Feita para as retas Após a saída dos boxes de Interlagos, entrei na reta oposta e girei o acelerador com vontade. A Original se mantinha firme na trajetória. O ponteiro do velocímetro crescia facilmente na escala em milhas e em quilômetros por hora. Chegava então a descida do lago e o momento de testar os freios, da marca HHI Brakes.

Funcionam muito bem para parar a motocicleta. Ainda bem, pois contornar curvas com o longo garfo e o enorme pneu de 240 mm de largura na traseira da Original não é uma tarefa fácil. Afinal, ela foi projetada para as retas americanas. Mesmo assim, a moto OCC é mais fácil de pilotar do que aparenta. As manobras em baixa velocidade realmente são difíceis de fazer. Já em movimento a Original é estável e gostosa de pilotar. Claro que não se pode chamá-la de uma moto ágil. Mas levando-se em consideração a sua ciclística, ela até que surpreende.

No miolo de Interlagos, para contornar a curva do Pinheirinho foi preciso diminuir bastante a velocidade. Caso contrário as pedaleiras e até mesmo a ponteira de escape raspava facilmente no asfalto. Mas depois da curva da junção, em direção à reta dos boxes, o prazer de acelerar o motorzão da S&S voltava. Uma nova reta para desfrutar de todo o torque e potência deste V2 americano. O ponteiro marcava 100 milhas por hora – cerca de 160 km/h.

Quer uma? Pena que tudo que é bom uma hora acaba. Depois de três voltas no Autódromo de Interlagos, um cenário não muito ideal para curtir uma chopper como a OCC Original, era hora de devolver a moto. Mas se você ficou com a mão coçando para acelerar esse modelo construído pela família Teutul, isso é possível. Não que a organização do São Paulo Moto Festival vá oferecer uma área de test-drive para quem for ao evento. Mas, no sábado à noite, 6 de setembro, vai acontecer um leilão da Original e de outro modelo construído pelos Teutul. Uma boa oportunidade para ter uma dessas na garagem. Desde que você também tenha mais de R$ 100 mil na conta bancária, valor estimado pelos organizadores do evento.

FICHA TÉCNICA OCC Original

Motor: Dois cilindros em “V”, quarto tempos, refrigerado a ar Capacidade: 1.632 cm³ Câmbio: seis marchas Rodas e pneus: Metzeler Marathon ME 880 120/70-21, na dianteira; Metzeler Marathon ME 880 240/40R-18, na traseira Freios: A disco na frente e atrás com pinças de quatro pistões da HHI Entre-eixos: 2210 mm Comprimento: 2921 mm Largura: 940 mm Altura: 1371 mm Altura do assento: 610 mm Distância do solo: 127 mm Capacidade do tanque: 15 litros