5ng_9658-gallery_full_top_lg

Valentino Rossi vence em Assen e acentua o brilho de sua história

Que Valentino Rossi (Movistar Yamaha) já é um mito ninguém tem dúvidas. Mas que ele siga sendo um fenômeno na vida real das pistas, isso muita gente ainda tinha dúvidas. Mas o italiano de 38 anos continua calando a boca de muitos críticos. Hoje (25/6) na prova da MotoGP em Assen, na Holanda, ele alcançou a sua vitória de número 115, a 89ª na categoria maior do motociclismo mundial.

Rossi  provou mais uma vez porque é “The Doctor” numa corrida cheia de alternativas e que teve até a bandeirada final muitas disputas eletrizantes em pelotões separados, o que trouxe dificuldade para o diretor da transmissão pela TV definir qual pega colocava na telinha. Quem viu o começo da prova pode ter imaginado que ela seguiria morna como foi, mas só até a metade.

Mito

Mito

Pela 115ª vez na carreira, Valentino Rossi no degrau mais alto do pódio

Promessa

Promessa

Johann Zarco lidera no início da prova, mas não resistiu ao ataque de Rossi

Liderança

Liderança

Rossi assume a ponta e não dá chance aos adversários

Ataque

Ataque

Petrucci usou tudo o que tinha disponível para tentar ganhar a ponta de Rossi

Má fase

Má fase

Viñales (#25) segue sem bons resultados há 3 etapas, mas ainda é o segundo colocado na classificação geral

Ritmo

Ritmo

Os quatro protagonistas do melhor pega da prova mantém o mesmo ritmo durante todo o tempo

Largada

Largada

Zarco (#5) mantém a liderança após a largada e sai da primeira curva com Márquez na sua cola

The Doctor

The Doctor

Valentino Rossi, o mito, segue sendo protagonista de grandes momentos do esporte

Pela primeira vez pole position, o francês Johann Zarco (Monster Yamaha Tech3) fez boa largada e liderou a prova, seguido de Marc Márquez (Repsol Honda Team) Danilo Petrucci (Octo Pramac Racing) e Rossi. Da metade para o final da prova Zarco começou a perder rendimento e Rossi aproveitou para mostrar que seu apetite por bons pegas e vitórias ainda é o mesmo. Assumiu a ponta, fechou a porta para Zarco numa tentativa do francês de retomar a ponta, com um leve toque, o que definitivamente tirou Zarco da disputa. Petrucci e Márques seguiram Rossi, mas sem atacá-lo ainda.

Com a chuva voltando a cair em parte da pista, o inglês Cal Crutchlow (LCR Honda) e Andrea Dovisiozo (Ducati Team) cresceram e chegaram no pelotão que brigava na ponta, mas não foi possível superar e manter-se à frente de Márques. Na última volta, quando Petrucci atacava ferozmente Rossi pela liderança, de forma involuntária o retardatário Álex Rins (Team Suzuki Ecstar) atrapalhou Petrucci que mesmo assim conseguiu cruzar a linha colado na traseira da Yamaha de Rossi. Márquez foi o 3º com Crutchlow em 4º e Dovizioso, que agora lidera o campeonato foi o 5º.

Morbidelli: vitória só veio na última volta para manter a liderança

Morbidelli: vitória só veio na última volta para manter a liderança

O vice-líder da MotoGP, Maverick Viñales (Movistar Yamaha MotoGP) continua seu calvário de má fase. Fazia uma corrida de recuperação, mas caiu na segunda perna do “S” antes da reta de chegada e o que parecia uma promessa, nesse momento é uma grande dor de cabeça para os dirigentes da Yamaha. Menos mal que a vitória de Rossi colocou fogo no campeonato deixando 4 pilotos com apenas 11 pontos de diferença entre si.

Morbidelli na Moto2 e Aron Canet na Moto3

Como dizem por aí, o italo-brasileiro Franco Morbidelli (EG 0,0 Marc VDS) comprova mais uma vez porque lidera a Moto2 e venceu a prova da categoria no GP Motul TT Assen, na Holanda. Morbidelli travou um duelo intenso com Tom Luthi (CarXpert Interwetten). No dia anterior, Morbidelli havia anunciado seu acesso para a MotoGP em 2018 e parecia que ele ele precisava justificar a decisão com um vitória em grande estilo. E foi assim, com uma ultrapassagem na última volta sobre Luthi, que veio a vitória e a consolidação da liderança da Moto2. Completaram o “top 5″ Takaaki Nakagami (IDEMITSU Honda Team Asi), Mattia Pasini (Italtrans Racing Team) e Miguel Oliveira (Red Bull KTM Ajo).

Canet (#44) puxa a fila para a vitória na prova e a vice-liderança na Moto3

Canet (#44) puxa a fila para a vitória na prova e a vice-liderança na Moto3

A Moto3 como sempre protagonizou uma corrida de sair faísca do início ao fim. A vitória ficou com o espanhol Aron Canet (Estrella Galicia 0,0) que fez uma corrida de recuperação porque só alcançou o pelotão que brigava pela ponta no final, tudo para evitar um acidente maior com outro piloto, Fabio di Giannantonio (Del Conca Gresini Moto3), que caiu logo à frente. Mas Canet soube buscar forças (e talento) para se recuperar e vencer. Superou Romano Fenati (Marinelli Rivacold Snipers), que terminou em segundo, seguido de John McPhee (British Talent Team), Jorge Martin (Del Conca Gresini Moto3) e Jules Danilo (Marinelli Rivacold Snipers). O líder da Moto3 é Joan Mir (Leopard Racing), que terminou a prova da Holanda na 9ª posição.

Fotos: Copyright by Dorna

Separador_MotoGP



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.