2018 X-ADV

Honda X-ADV chega ao Brasil; conheça esta novidade

Apresentado no Brasil durante o Salão Duas Rodas 2017, e em pré-venda desde o ano passado, o inédito maxiscooter Honda X-ADV começa a chegar nas lojas já nos próximos dias. O veículo tem um inegável potencial de polarizar opiniões: há quem o ame logo de cara e aqueles que desprezem sua proposta, sem meio-termo. Isso porque ele mescla elementos de um scooter com traços de uma moto trail. Como denominador comum, todos comentam o alto preço: R$ 52.500,00 (sem contar despesas com frete ou seguro).

O conceito 'maxiscooter crossover' soa estranho para você? Ao Honda X-ADV, não. Scooter tem o motor da NC 750X, suspensão elevada (e invertida), câmbio DCT (com modo manual) e elementos visuais inspirados em Africa Twin e CRF 450. É, em linhas gerais, um scooter todo-terreno

O conceito ‘maxiscooter crossover’ soa estranho para você? Ao Honda X-ADV, não. Scooter tem o motor da NC 750X, suspensão elevada (e invertida), câmbio DCT (com modo manual) e elementos visuais inspirados em Africa Twin e CRF 450. É, em linhas gerais, um scooter todo-terreno

Segunda a Honda, o conceito do modelo é inovador e “reúne as qualidades necessárias para ser considerado uma nova proposta, confirmando a tradição da Honda quando o assunto é inovação”. Antes de seguirmos, duas observações esclarecedoras: ADV significa ‘Adventure’ (aventura) e ‘Advanced’ (avançado); e sim, essa fusão de dois mundos cria uma espécie de ‘SUV’ das motos. A própria Honda se apropriou desta comparação durante a apresentação do modelo, ainda no Salão. “Verdadeiro SUV sobre duas rodas, modelo chega ao mercado brasileiro com suspensões de longo curso, motor de 745 cm3, além de câmbio DCT e amplo espaço sob o banco” – palavras da montadora.

Como é o maxiscooter Honda X-ADV

O X-ADV foi apresentado como conceito durante o Salão de Milão de 2016 e, no seu DNA, há “espírito de aventura e uma grande dose de praticidade”, segundo o líder de Projeto do modelo, Kenichi Misaki. Deixando os floreios conceituais de lado, suas informações técnicas revelam que a equipe pensou em três coisas durante seu desenvolvimento: conveniência, praticidade e vocação para aventura.

Na praticidade, entram, por exemplo, o bagageiro de 21 litros (com superfície texturizada) sob o banco, a tomada 12 volts e o conjunto de iluminação com luzes em LED. Na conveniência, a lista segue com para-brisa elétrico de 5 posições (com diferença total na altura de 135 mm, com 11 graus de inclinação), guidão com grande protetor de mãos, smart key (partida sem chave), válvula de calibragem em ‘L’, freios ABS de dois canais (na frente com disco duplo com cálipers de quatro pistões e fixação radial, enquanto na traseira o disco é simples com cáliper de pistão duplo com ABS ‘não-desligável’) e botão de ignição com funções, também, de tampa do tanque e do assento.

Rodas raiadas e pneus sem câmara

Rodas raiadas e pneus sem câmara

Rodas raiadas com aros em alumínio, de 17 e 15 polegadas, e calçadas por pneus sem câmara

ABS 'não-desligávael'

ABS 'não-desligávael'

Quem se aventurar com o maxiscooter na terra irá sentir falta das derrapagens...

Suspensão dianteira

Suspensão dianteira

Com curso alongado e ajustável, a suspensão upside-down é um dos baratos do modelo

Tomada 12V

Tomada 12V

Dispositivo está sob o assento

Iluminação em LED

Iluminação em LED

Conjunto óptico é em LED, obviamente

Seletor de ignicação

Seletor de ignicação

Nos mesmos moldes da família SH, o botão também tem funções de tampa do tanque e do assento

Já o item aventura se destaca pelas suspensões de curso alongado (153,5 mm na dianteira e 150 mm atrás, com Pró-Link) e rodas raiadas com aros em alumínio, de 17 e 15 polegadas – calçadas com pneus mistos (e sem câmara), medindo 120/70R 17 na frente e 160/60R 15 na traseira. Também há protetor de cárter em alumínio com espessura de 2,5 mm e cavalete central com sensor de inclinação (para garantir segurança no estacionamento em terrenos irregulares).

Motor da NC 750X e câmbio DCT com opção manual

Equipe técnica da Honda apresentou o modelo em detalhes durante o Salão Duas Rodas 2017

Equipe técnica da Honda apresentou o modelo em detalhes durante o Salão Duas Rodas 2017

Para fazer jus à proposta de uso misto e garantir bom desempenho desde as baixas rotações, o motor adotado é o mesmo da Honda NC 750X, que aqui trabalha em conjunto à caixa de câmbio de dupla embreagem DCT (Dual Clutch Transmission). Ela permite optar pelo modo “D” para mudanças de marchas automáticas em ‘uso normal’ e modo “S” (em três níveis) para mais esportividade. O diferencial é a possibilidade de selecionar as mudanças manualmente através de seletores “+” e “–”, situados no punho esquerdo. O propulsor é bem conhecido, trantando-se de um bicilíndrico de 745 cm³, arrefecimento a líquido, OHC (comando simples no cabeçote), movido a gasolina e que gera 54,5 cv de potência (a 6.250 rpm) e torque máximo de 6,94 kgf.m, a 4.750 rpm. O chassi é tubular de aço tipo Diamond.

Com ‘um pezinho’ nos ralis?

Painel digital foi inspirado nas motos de rali, neste caso na CRF 450 Rally

Painel digital foi inspirado nas motos de rali, neste caso na CRF 450 Rally

Nitidamente, o visual da X-ADV adota elementos presentes em modelos off-road consagrados da marca, como a Honda CRF 1000L Africa Twin, e pega para si contornos de design destes. Aqui, destaque para a bolha ajustável e os protetores de mãos. Além disso, o painel de instrumentos é totalmente digital e está posicionado como os “road-books” presentes na CRF 450 Rally (de competição). Portanto, a fórmula da X-ADV seria Integra (scooter vendido na Europa que também usa o motor de 750 cm³) + NC 750X + Africa Twin + CRF 450 Rally? Talvez…

Modelo tem 3 anos de garantia

Importada do Japão, a Honda X-ADV conta com 3 anos de garantia e o famoso “Honda Assistance 24h”, que garante assistência durante todo o período de vigência em território brasileiro assim como na Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai. O modelo estará disponível em versão única pela rede de concessionários Dream.

FICHA TÉCNICA HONDA X-ADV

MOTOR

Tipo OHC, dois cilindros, 4 tempos, arrefecimento líquido
Cilindrada 745 cc
Diâmetro x curso 77,0 x 80,0 mm
Taxa de compressão 10,7:1
Potência máxima 54,8 cv a 6.250 rpm
Torque máximo 6,93 kgf.m a 4.750 rpm
Sistema de alimentação Injeção Eletrônica PGM-FI
Transmissão Câmbio DCT; 6 velocidades
Sistema de partida Elétrico
Combustível Gasolina

CHASSI, FREIOS E SUSPENSÃO

Tipo Diamond Frame
Suspensão dianteira Garfo upside-down, 43mm / curso de 153 mm
Suspensão traseira Pro-Link / curso de 150 mm
Freio dianteiro Duplo disco / ABS integral / 296 mm
Freio traseiro Duplo disco / ABS integral / 240 mm
Pneu dianteiro 120/70 – 17, sem câmara
Pneu traseiro 160/60 – 15, sem câmara

DIMENSÕES

Comp x Larg x Alt 2.245 x 910 x 1.375 mm
Distância entre eixos 1.590 mm
Distância mínima do solo 165 mm
Altura do assento  820 mm
Capacidade do tanque 13,1 litros
Óleo do motor 4,1 litros
Peso seco 223 kg
Preço Público Sugerido:  R$ 52.500,00
Preço tabela FIPE em 24/03/2018: ainda indisponível

 

separador_honda



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.