Foto: Alessandro Ferraz, da equipe Ale Team Racing, é campeão brasileiro do TNT Superbike, categoria Pró/Estrantes

Alessandro Ferraz é campeão do TNT Superbike 2010

Foto: Alessandro Ferraz, da equipe Ale Team Racing, é campeão brasileiro do TNT Superbike, categoria Pró/Estrantes

Foto: Alessandro Ferraz, da equipe Ale Team Racing, é campeão brasileiro do TNT Superbike, categoria Pró/Estrantes

O dia foi de festa no Autódromo de Interlagos. Em um final de semana de muito calor e céu azul, a pista paulistana recebeu entre os dias 26 e 28 de novembro três importantes provas que marcaram de forma simbólica o encerramento de seu calendário de grandes competições em 2010. Estavam reunidos neste mesmo espaço os carros do Troféu Itaipava Brasil e da etapa brasileira do Mundial da FIA GT1 e também as motos que disputariam a 8ª etapa do TNT Superbike, que definiria os títulos das categorias Pró, Pró/Am e Pró/Estreantes.

E nesta última, o piloto Alessandro Ferraz, da equipe Ale Team Racing, foi um dos protagonistas do espetáculo, já que mesmo envolvendo-se em um acidente durante a corrida, conseguiu retornar à pista e conquistar o título da categoria Pró/Estreantes, o que o coloca na história da motovelocidade nacional como o primeiro campeão deste torneio.

Como aconteceu nas outras sete etapas passadas, os pilotos começaram a chegar a Interlagos ainda na sexta-feira, trazendo seus equipamentos e montando seus boxes e neste mesmo dia, aconteceram os três primeiros treinos livres, nos quais Alessandro procurou andar com cuidado, já que a pista emborrachada demais pelos carros exigia cautela em seu reconhecimento. Sua estratégia para o final de semana era uma só: cautela, afinal, para ele bastaria terminar o domingo apenas como o sétimo colocado em sua categoria para conquistar seu primeiro título na competição.

Nos treinos classificatórios do sábado, mais familiarizado com a pista e com a moto mais acertada para as condições do asfalto de Interlagos, Alessandro passou a andar mais próximo de seu ritmo ideal e assim, conseguiu registar sua melhor volta em 1min47s993, o quinto melhor tempo em sua categoria. Sua estratégia estava dando certo.

No domingo, as atividades começaram bem cedo para os pilotos da motovelocidade, já que o treino de aquecimento estava agendado para começar às 8h20 e no horário marcado os boxes foram abertos. Alessandro foi para a pista e retornou confiante de que tinha condições de realizar uma corrida dentro de suas previsões. Agora era só aguardar a hora de voltar à pista para a batalha final.

Passados alguns minutos após às 10h, o locutor anunciou a abertura dos boxes para o alinhamento no grid, já que a corrida estava agendada para às 10h22. Autorizada a largada, Alessandro partiu para um início de prova no qual pudesse marcar seus principais rivais e logo no início, ultrapassou seis rivais, entretanto, na quarta volta, quando freava para realizar a tomada da curva ao final da reta oposta, foi atingido por trás pela moto do piloto Nilton Patrício, fazendo com que ambos fossem ao chão. “Eu levei um susto enorme quando senti a batida. Não deu para controlar a moto, que levantou a traseira com o impacto e me derrubou. Na hora eu vi que eu não havia sofrido nada sério e já fui pegar a moto, que ainda tinha condições de continuar na prova, embora com algumas avarias”, explica.

A situação se complicara para ele, que despencara na classificação da corrida, entretanto, com um toque de ousadia e superando a dor que começava a tomar conta de seu tornozelo, conseguiu ainda realizar uma prova de recuperação para finalizar em 6º. na sua categoria, o que lhe concedeu 14 pontos. Por um ponto de diferença, ele tornara-se o primeiro campeão da categoria Pró/Estreantes da história da competição.

“Agora é comemorar bastante, embora meu pé esteja inchado e doendo em razão do acidente, mas graças a Deus que foi só isso. Foi uma prova dura mas ainda bem que tinha uma boa reserva de pontos que me possibilitaram adotar uma postura cautelosa ao longo de todo o final de semana e assim, pude administrar a corrida, mas o acidente acabou me obrigando a rever um pouco da estratégia e até mesmo a apostar um pouco mais”, revelou.

Para 2011, Alessandro Ferraz já está negociando com novos patrocinadores um novo aporte financeiro que irá lhe possibilitar trocar de motocicleta, visando ser mais competitivo no ano que vem, já que agora, passará a pilotar na categoria Pró. “Estou querendo pegar uma Honda (CBR 1000RR Fireblade), pois minha moto é antiga e não me dará condições de lutar por posições no pódio em 2011. Assim, estou negociando com dois novos patrocinadores para verificar se consigo comprar esta moto em breve, para poder, então, começar o mais rápido possível a fase de preparação”, finaliza.

O piloto Alessandro Ferraz conta com os patrocínios de Mac Cor Pinturas Industriais e Prediais, MotoBR, RC Motos, Volpaint Boutique e Acessórios e Semog Indústrias.