Foto: Divulgação Honda.au

CBR 125R, Regular CB400, Cambio de CB750, Pneu mais fino ou mais grosso.

Foto: Divulgação Honda.au

Foto: Divulgação Honda.au

Estava procurando curiosidades sobre a Honda no mundo, e meu primo Australiano me mostrou uma CBR125R, isso mesmo uma CBR 125cc de uma olhada a foto o sonho de todo motoboy, risos! Marcelo, 26, Petrópolis, RJ.

Interessante Marcelo, mas se você reparar o motor é um OHC 125cc que deve ser facilmente superado em performance pelo nosso 150cc. Ainda mais com o álcool como combustível, que como você sabe anda mais. Me parece mais um cordeiro na pele de um lobo, mas é bonita de fato, refrigeração líquida e tal. Abraços.

Bitenca, Tenho uma CB400 ano 80 totalmente original. Gostaria de saber o quanto devo aumentar a giclagem e demais regulagens para adequar a carburação aos 25% de alcool na gasolina de hoje, uma vez que em 1980 o teor de alcool na gasolina era menor ( não lembro quanto ). Obrigado. Eduardo, 45, São Paulo, SP.

Eduardo, a regulagem é normal. Faz-se como explicado na série carburação 1 e carburação 2. Nessas matérias explico como se regula os carburadores de forma geral. É pouco provável que seja necessário a troca do giclê de alta. Nos demais subsistemas dos carburadores a regulagem pela cor da vela identifica bem a situação, apenas regule a lenta e confira se uma posição nova da agulha do pistonete melhoraria a coloração da vela. Verifique a equalização conforme o artigo carburação 3, com as variações para o seu caso. Não é necessário equalizador, apenas sentindo a pressão dos escapes, que são independentes no seu caso (original) dá para fazer uma ótima regulagem.
Boa sorte.

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

Óla Bitenca, estou com uma dúvida muito grande. Tenho uma CBX 750 F 1988, e de uma hora para outra as trocas de marcha se tornaram difíceis, ficou muito dura e tenho que apertar a marcha umas 3 vezes para conseguir fazer a marcha reduzir, só acontece nas reduções! Sempre troco óleo e faço manutenção na Honda, eles me disseram que uma troca de óleo poderia ajudar, fiz isso e não adiantou nada! Óleo de embreagem está ok, me de uma dica, estou com uma dúvida enorme! Marcelo, 26, Petrópolis, RJ.

R: Marcelo, Seu problema me sugere que se há algum impedimento no movimento da alavanca, houve algum tombo que possa ter entortado o eixo do pedal, ele pode estar duro ao virar no sentido das trocas para baixo. Outro problema, se o pedal se move livremente mas a marcha não muda: Nesse caso o trambulador perde o encaixe para virar o tambor de troca de marchas por quebra ou desgaste da mola que prende o acionador do trambulador. De qualquer forma o seu mecânico deve encontrar o defeito e consertar sem muitos problemas. Não me parece muito dispendioso o serviço se você resolvê-lo logo. Boa sorte,

Olá pessoal, bom dia. Certa vez me disseram que um pneu de menor largura percorre um menor espaço nas frenagens, ou seja, freia melhor. Gostaria de saber se isso realmente é verdade, e caso seja, qual a razão da grande largura dos pneus adotada das motos maiores. O site é muito bom! Desde já agradeço. Diego, 28, São Paulo, SP.

R: Diego, Isso não é verdade. Para uma mesma massa (mesmo peso da moto) quanto maior a área de contato com o solo melhor a frenagem. A largura maior associada a um diâmetro maior da roda também favorece a tração. Assim, a área de contato fica maior e o atrito da borracha com o chão também, é quando o espaço de frenagem por certo diminui.
Mas a razão da largura grande dos pneus das motos maiores é que para uma moto grande também é necessário mais tração (atrito com o chão), para uma frenagem eficiente, uma aceleração bem controlada e melhor condução nas curvas. Por causa do peso da moto, associado à grande potência do motor as rodas devem ser mais largas para que a tração seja compatível. Uma moto leve pode ter vantagens com pneus mais finos pois a pequena tração disponível já é suficiente para controlar a dirigibilidade e o atrito menor do pneu favorece economia e performance. Para cada moto há um pneu ideal, normalmente o que vem de fábrica é bastante próximo. A não ser em casos especiais, em competição, onde se procura um pneu que favoreça algum outro aspecto da ciclística, necessitando pneus especiais.
Abraços,