Foto: Jean e Mattheis ap¢s a not¡cia

Equipe Petrobras Lubrax comenta o cancelamento do Rally Dakar 2008

Foto: Jean e Mattheis ap¢s a not¡cia

Foto: Jean e Mattheis ap¢s a not¡cia

An£ncio foi realizado na manhÆ desta sexta-feira durante o £ltimo dia de vistorias t‚cnicas e administrativas

Um dia antes do in¡cio da maior prova off road do mundo, o Rally Dakar, pilotos e equipes foram surpreendidos com o comunicado de que a competi‡Æo seria cancelada. Em toda a hist¢ria do Dakar, que completaria 30 edi‡äes, isso nunca havia acontecido. Todos os integrantes da equipe brasileira Petrobras Lubrax j  estavam em Lisboa e se preparavam para competir em todas as categorias: moto, carro e caminhÆo.

Segundo tienne Lavigne, Diretor de Prova do Dakar, o Governo da Fran‡a recomendou que a caravana do rali nÆo passasse pela regiÆo da Mauritƒnia, que abrigaria oito das quinze etapas da competi‡Æo, por motivos de seguran‡a. Desta vez, de acordo com ele, as amea‡as terroristas foram realizadas diretamente … competi‡Æo.

“Recebemos a not¡cia com muita tristeza, principalmente ao olharmos o semblante dos pilotos novatos. Mas sabemos que a decisÆo foi acertada, pois correr determinados riscos nÆo vale a pena. Em minhas 20 participa‡äes no Dakar j  vivenciei momentos complicados no meio do deserto. Um deles, ocorrido em 1991, foi a morte de um piloto de caminhÆo por uma rajada de metralhadora no Mali, pa¡s que fica ao lado da Mauritƒnia. N¢s, competidores, imaginamos que possa acontecer algum acidente na pr¢pria competi‡Æo, mas nÆo algo exterior … ela, como o terrorismo”, explica Andr‚ Azevedo, piloto de caminhÆo da Equipe Petrobras Lubrax e que faria a sua 21¦ participa‡Æo na prova.

Rodolpho Mattheis, que faria sua estr‚ia na categoria Motos, teve que adiar seu sonho de participar no rali. “Estou muito triste. O Dakar ser cancelado justo na minha primeira vez ‚ muito chato. Mas agora tenho que pensar no futuro e nas etapas do Campeonato Brasileiro”, contou. Jean Azevedo, que compete na mesma categoria e faria sua 10¦ participa‡Æo no Dakar, tamb‚m se mostrou triste com a not¡cia, apesar de concordar com a decisÆo dos dirigentes do Dakar. “Me preparei para esta prova o ano inteiro e como piloto estou muito frustrado, por outro lado sei que a seguran‡a ‚ essencial para o bom andamento do rali e temos que ter essa garantia”, concluiu.

Outro estreante do Rally Dakar, JoÆo Franciosi, comentou o cancelamento da prova. “ desanimador. Nosso carro (Mitsubishi Pajero Full) estava muito bom, meu entrosamento com o navegador Lourival Roldan tamb‚m, e saber essa not¡cia um dia antes do rali foi arrasador”, afirmou.

Clima de tensÆo – Ap¢s a morte de quatro turistas franceses no dia 24 de dezembro em Aleg, cidade 250 km ao Sudeste de Nouakchott, capital da Mauritƒnia, as autoridades francesas ficaram atentas com a seguran‡a do Rally Dakar. De acordo com o comunicado da prova, “tendo em conta as atuais situa‡äes de tensÆo politica, em n¡vel internacional, o assassinato de quatro turistas franceses, no dia 24 de Dezembro, atribu¡do a um ramo do Al-Qaeda, no Magreb islƒmico, e acima de tudo as amea‡as, diretas, lan‡adas contra a prova, por movimentos terroristas, a A.S.O. (Amaury Sports Organization – organizadora do rali) nÆo pode tomar outra decisÆo que nÆo seja a anula‡Æo da prova”.

Apesar do an£ncio, a organiza‡Æo do Dakar afirmou que a anula‡Æo desta edi‡Æo da prova nÆo atrapalharia o futuro do rali. “O Dakar ‚ um s¡mbolo e nada pode destruir os s¡mbolos”.

A Equipe Petrobras Lubrax tem patroc¡nio da Petrobras, Petrobras Distribuidora, Mitsubishi Motors do Brasil, Pirelli, e apoio do Banco Mercedes-Benz, Mercedes-Benz Caminhäes, Renov, Seguros Mercedes-Benz, MANN-FILTER, Sadia, BorgWarner, Kaerre, KTM Motocicletas, Capacetes Bieffe, Sparco Am‚rica Latina, Artfix e TIM.