Honda dá dicas de pilotagem para viagens longas

Honda dá dicas de pilotagem para viagens longas

Honda dá dicas de pilotagem para viagens longas

Para aproveitar ao máximo a sensação de liberdade e prazer que a motocicleta proporciona, os instrutores do Centro Educacional de Trânsito Honda (CETH) dão algumas importantes dicas de pilotagem para quem pretende pegar a estrada para viagens mais longas nestas férias.

O primeiro passo antes de seguir viagem é colocar todos os equipamentos de segurança: capacete, roupas apropriadas, calçados que protejam os pés e luvas. Embora nem todos estes acessórios sejam exigidos por lei, é importante buscar a máxima proteção.

De modo geral, a probabilidade de ocorrer algum problema é maior nos primeiros minutos de condução. O motociclista ainda está relaxado, seu raciocínio não está alerta e seus reflexos não estão aguçados. Além disso, a expectativa da viagem gera uma descarga de adrenalina e estresse.

Para reduzir a tensão, são indicados alguns minutos de alongamento. A partir daí, suba na motocicleta e pegue a estrada, seguindo estas recomendações:

– Na programação, a pressa não pode estar incluída. Uma viagem de motocicleta deve ter hora para começar, mas não para terminar. Compensar atrasos, jamais.

– Motocicletas sofrem forte influência dos deslocamentos de ar causados por outros veículos, das instabilidades do piso e de manobras inesperadas de outros veículos.

– Na estrada, a atenção deve ser redobrada. Mesmo que a motocicleta esteja em via preferencial, o condutor está sempre mais vulnerável diante de outros veículos.

– Para passeios em grupo, o roteiro do percurso, o itinerário a ser seguido e as paradas a serem feitas devem ser definidas antes da partida.

– Durante o trajeto em grupo, os mais lentos devem seguir sempre à frente do grupo. É indicado não fazer ultrapassagens e utilizar a trilha deixada pelos pneus dos automóveis no asfalto.

– Em pista única, deve-se manter um espaço razoável entre as motocicletas, para permitir ultrapassagens de outros veículos.

– Aprecie a paisagem e procure não fixar o olhar no mesmo local da estrada todo o tempo para evitar a sensação de hipnose causada pelo acompanhamento contínuo.

– Se sofrer algum ato de imprudência de outro condutor, o melhor a fazer é manter-se distante. Pista não é lugar para conflitos ou brincadeiras.

– Evite aproximações desnecessárias: na estrada, a comunicação deve ser por sinais. Com a motocicleta em movimento, jamais se deve tocar o outro condutor.

– Se ocorrer algum problema mecânico, pare em um local seguro e sinalize aos demais veículos que está havendo um imprevisto e evite atravessar ou caminhar pela estrada.

– A parada deve ser feita no acostamento e a pista deve ser sinalizada nos dois sentidos, a pelo menos 50 metros da motocicleta. Enquanto as providências no local são tomadas, outros motociclistas devem buscar auxílio.

– O espírito de alerta deve fazer parte de toda a viagem. Quando estiver próximo do destino, ocorre um relaxamento natural. Fique alerta até o estacionamento completo da motocicleta.

Seguindo essas orientações, o bom-senso, o respeito ao próximo, tendo um pilotagem defensiva, prudente e com segurança, é possível viver uma experiência de liberdade que só uma motocicleta pode proporcionar.

BOA VIAGEM !!!