Falcon_XRE_destaque

Honda NX400i Falcon e XRE300; qual predomina?

Os emplacamentos dos dois primeiros meses desse ano de 2013 mostram que a Honda XRE 300 ficou em 2º lugar na categoria Trail – fun, abaixo da NXR 150, com 4.056 unidades. A Honda NX400i Falcon ficou em 5º lugar com 1.618 unidades. Esses números dizem muito, mas não falam tudo. Promoções podem ajudar uma ou outra a predominar, mas no fim, quem decide mesmo é quem compra e esses sabem bem o que querem. Se você está interessado em qualquer uma destas ou outras motos, consulte o Guia de Motos do Motonline.

Honda NX400 Falcon i ou XRE 300 - Muitas semeplanças e grandes diferenças

Honda NX400 Falcon i ou XRE 300 – Muitas semeplanças e grandes diferenças

Em termos de preço, a XRE sai por R$ 14.996,00 (ABS) R$ 13.290,00 (Standard) e a Falcon é entregue por R$ 19.676,00 R$ 18.900,00 sugerido (tabela FIPE, 2 de abril). É uma grande diferença, mas vamos considerar outras características que tornam estas duas motos direcionadas ao mesmo público de fato diferentes uma da outra.

Posicionamento do piloto na Falcon favorece mais o off road

Posicionamento do piloto na Falcon favorece mais o off road

Na XRE a posição de conduzir é um pouco mais relaxada. Na Falcon você fica favorecendo um pouco mais o ataque, menos encaixado no banco que envolve melhor o tanque e assim, permite maior mobilidade. O banco mais alto, as laterais largas ao lado do tanque e o bico da XRE dão a impressão de que é uma moto maior, mas na verdade é 12,5 Kg mais leve (6 Kg com  ABS). Em termos da relação de distâncias do triângulo que se define pelo ponto do assento, apoio das pedaleiras e posição do guidão a Falcon coloca o piloto numa postura mais própria ao uso mais esoportivo na terra. É mais fácil levantar para passar sobre obstáculos e mudar o posicionamento do corpo para superar obstáculos.

Posicionamento do piloto na XRE 300 favorece o conforto

Posicionamento do piloto na XRE 300 favorece o conforto

Em termos de motorização, apesar de em números absolutos a Falcon se apresente mais potente, essa diferença, já  pequena, é absorvida pelo peso adicional que ela leva. Pode-se notar que a diferença de peso que cada CV tem que levar na Falcon é muito pequena, resulta em menos de 0,1% de vantagem. Porém em termos de torque a vantagem se torna significativa, principalmente por causa da rotação em que ele está disponível. A XRE Flex tem 2,81 Kgf.m (2,85Kgf.m alcool) em 6500 rpm e a Falcon 3,27 Kgf.m em 6.000 rpm. Mais de 15% de diferença que na prática, vai representar uma elasticidade maior em todas as marchas, de modo que você vai poder sair de um giro mais baixo e ganhar mais velocidade em cada marcha. Resulta que no final, a velocidade máxima vai ser maior. Ou ainda, você vai poder manter uma velocidade de cruzeiro mais alta em viagens e não vai ser necessário trocar tantas marchas como na XRE.

Concepções de motor: OHC com válvulas radiais (RVFC) na Falcon contra DOHC na XRE 300 mas a rodagem é a mesma nas duas motos

Concepções de motor: OHC com válvulas radiais (RVFC) na Falcon à direita, contra DOHC na XRE 300 à esquerda mas a rodagem é a mesma nas duas motos

Suspensão está num contrasenso. Mais curso na XRE do que na Falcon implica que esta deveria sofrer mais nos obstáculos. Porém, como a pilotagem é mais dinâmica por causa da maior facilidade no posicionamento do piloto essa vantagem pode ficar obscurecida. Por outro lado, na Falcon, a calibração é um pouco mais dura, permitindo melhor aproveitamento. Na XRE a calibração é mais macia e enquanto oferece mais conforto o aproveitamento é menor para uma tocada mais agressiva.

Os Chassis são muito parecidos, os dois tem o mesmo berço semi-duplo sob o motor, mas o da XRE parece mais bem estruturado, não sofre tanto as consequências das grandes forças geradas pelo motor e suspensão sobre a sua estrutura. O motivo pode ser a própria suspensão que por ser mais macia não exerce tanta força, assim como o motor que produz menos torque. Os 17mm a mais na distância entre-eixos da Falcon é irrisório mas a diferença do vão livre do solo vai provocar uma diferença correspondente no centro de gravidade, facilitando um pouco a rolagem (entrar e sair de curvas) na XRE.

Pequenas diferenças mostram a XRE um projeto mais atual, definindo uma moto mais "on" do que "Off" em termos de geometria

Pequenas diferenças mostram a XRE um projeto mais atual, definindo uma moto mais “on” do que “Off” em termos de posicionamento do piloto. Em geometria elas se equivalem

Freios idênticos mas apenas na XRE tem a possibilidade de vir com o C-ABS. Nessa moto ele dá um show quanto as possibilidades do sistema para uso na terra. Se todas as motos trail viessem com um ABS dessa categoria o uso na terra desse sistema seria mais bem aceito. Mas na combinação do traseiro com o dianteiro há situações em que se deseja travar o traseiro para algum redirecionamento e isso se torna impossível. No mais são equivalentes até por serem os mesmos, nas mesmas rodas e pneus. Boa potência, boa modulação, tudo igual nas duas trail da Honda.

Mesmo painel com adornos diferentes na Falcon e na XRE 300

Mesmo painel com adornos diferentes na Falcon (esq) e na XRE 300 (dir)

Por fim se espera alguma conclusão. Mas ela fica nas considerações das diferenças e semelhanças. Sobre o preço, tão mais alto da Falcon a pergunta que fica é se os custos se justificam, porque mesmo com as características de maior conforto na XRE e mais pegada na Falcon continuam muito próximas as características dessas duas motos. Parece que a decisão vai ficar para um futuro, em que o principal fator vai ser a politica de preços da montadora.

Se você tem uma Honda de 300 a 400cc, opine sobre ela!
Acesse agora mesmo: Guia de Motos – Motonline