Johnson Controls / Heliar tem nova fábrica de baterias

Johnson Controls / Heliar tem nova fábrica de baterias

Johnson Controls / Heliar tem nova fábrica de baterias

A Johnson Controls, que atua globalmente na produ‡Æo de baterias automotivas, tem em Sorocaba, SP, a maior f brica de baterias para motocicletas da Am‚rica do Sul, com capacidade anual de 1,2 milhäes de unidades.

Esse novo Centro de Desenvolvimento exigiu investimento de US$ 7 milhäes e a Johnson Controls, meses ap¢s a inaugura‡Æo, investiu mais US$ 4 milhäes a fim de aumentar para 1,5 milhäes de unidades a produ‡Æo espec¡fica para motos e espera chegar a Mar‡o de 2008 produzindo 150 unidades/mˆs.

A marca comercial ‚ a Heliar, que tem 75 anos no mercado brasileiro.

Al‚m da qualidade do produto, chama aten‡Æo a sofisticada tecnologia aplicada aos processos de produ‡Æo, com diversas certifica‡äes como ISSO 9000, 14001, QS 9000 e TS 16949. Os funcion rios da f brica utilizam equipamentos de alta seguran‡a, visto trabalharem com chumbo,  cidos, etc, produtos de alta toxicidade. Al‚m disso, h  uma grande preocupa‡Æo em substituir pallets, papeläes e embalagens por produtos recicl veis.

Atualmente 90% dos componentes da bateria podem ser reciclados e seus t‚cnicos esperam m breve atingir 100%.

Nesse momento, a produ‡Æo de baterias ‚ exclusivamente para motos at‚ 150 cilindradas e est  voltada para atender as montadoras Honda e Sundown, incluindo as respectivas concession rias. H  perspectivas futuras de abastecer diretamente o varejo.

Com a cria‡Æo e adapta‡Æo da f brica, a Johnson Controls situa-se no mercado de forma diferenciada, pois ‚ a situa‡Æo onde o fornecedor acompanha o ritmo dos fabricantes, isto ‚, um n¡vel de exigˆncia alt¡ssimo.

HISTàRIA DA BATERIA – Se formos procurar a hist¢ria, a primeira bateria foi uma descoberta do italiano Alessandro Volta, em 1800. Ele inventou a pilha nÆo recarreg vel e em 1859, o f¡sico francˆs Gaston Plant‚ criou uma bateria para acumular energia el‚trica, constitu¡da basicamente de duas placas de chumbo, separada por placas de borracha imersas em uma solu‡Æo dilu¡da de  cido sulf£rico, dando origem … bateria recarreg vel.

Os primeiros ve¡culos funcionavam … base de magneto para alimenta‡Æo da bobina e das velas, sendo que a partida era … base de manivela e a luz era alimentada com g s de carbureto gerada por um pequeno aparelho instalado no pr¢prio ve¡culo, cujo g s alimentava diretamente o farol.

Por volta de 1912 surgiu a igni‡Æo por bateria e os novos ve¡culos modernos passaram a vir equipados com a partida el‚trica, tendo uma fonte de energia (bateria) e uma fonte de produ‡Æo de corrente (d¡namo ou alternador), sendo a luz alimentada pelo pr¢prio sistema el‚trico.

As baterias automotivas ainda que utilizando a tradicional tecnologia chumbo –  cido, sofreram desde sua concep‡Æo inicial, diversas mudan‡as. Inicialmente fabricadas com liga de Antim“nio, eram adequadas aos ve¡culos antigos, onde os equipamentos el‚tricos e eletr“nicos eram quase inexistentes. A maioria se limitava … utiliza‡Æo de apenas um r dio. Hoje, a quantidade de equipamentos el‚tricos, especialmente os de gerenciamento eletr“nico, ‚ grande, mesmo em ve¡culos populares.

Um fator que sofreu uma importante mudan‡a foi … posi‡Æo da bateria com rela‡Æo ao motor e conseqentemente sua temperatura ambiente. Hoje, ‚ comum encontrarmos baterias trabalhando a temperaturas ao redor de 90 graus, um verdadeiro desafio para um produto, cujo funcionamento ‚ essencialmente qu¡mico, e como tal, extremamente dependente da temperatura em que se encontra.

Nas baterias para motos, os maiores desafios foram: resistˆncia … vibra‡Æo e a montagem em qualquer posi‡Æo.

Portanto, ao comprar uma moto, leia o Manual do Propriet rio, verifique onde est  a bateria, se est  bem fixada, pe‡a a uma concession ria da marca para fazer uma avalia‡Æo de funcionamento e, em caso de d£vida, a pr¢pria concession ria deve entrar em contato com o fabricante.