Foto: Claudinei Cordiolli - A kawasaki Versys prima pelo bom acabamento e bom comportamento

Kawasaki Versys se destaca pela beleza e conforto

Foto: Claudinei Cordiolli - A kawasaki Versys prima pelo bom acabamento e bom comportamento

Foto: Claudinei Cordiolli - A kawasaki Versys prima pelo bom acabamento e bom comportamento

Motonline andou no mais recente lançamento da Kawasaki e que já está disponível nas lojas da marca – a Versys. Pudemos dar algumas voltas na pista de Interlagos, em São Paulo, durante a realização da Copa Ninja 250R, no domingo, dia 1º de agosto. Portanto, trata-se apenas de uma muito ligeira primeira impressão sobre a motocicleta.

A kawasaki Versys prima pelo bom acabamento e bom comportamento. Se na foto alguém pode achar a dianteira diferente ou de beleza duvidosa, vá vê-la pessoalmente. Essa sensação passará rapidamente. A moto é linda!!!

Montado na Versys é bem perceptível o conforto geral, proveniente da ergonomia onde o piloto fica bem relaxado pela posição do guidão aberto, com os pés bem apoiados nas pedaleiras e em um banco muito confortável, dado a largura e densidade da espuma a 845mm do solo.

Os comandos estão nas posições adequadas e instintivas, o toque é perfeito e o acabamento apurado é notável. O painel é bonito e funcional com conta-giros analógico e velocímetro digital, ao contrário de sua irmã naked – ER-6, que possui o conta-giros digital e o velocímetro analógico.

Foto: Divulgação - Um dos destaques da Versys é a beleza, seja no conjunto ou em partes, como este detalhe do conjunto ótico dianteiro

Foto: Divulgação - Um dos destaques da Versys é a beleza, seja no conjunto ou em partes, como este detalhe do conjunto ótico dianteiro

Aliás, a semelhança com sua irmã naked está na utilização de vários componentes em comum, além do motor, como freios, manetes e pneus, num olhar rápido, já que o clima exigia que não se perdesse muito tempo observando a Versys.

Em algumas voltas, pude notar uma leve oscilação na reta em velocidades maiores. Em curvas a dianteira afundava muito, todavia, nada que não possa ser ajustável, já que sua suspensão dianteira tem ajuste no retorno e pré-carga da mola. A traseira se mostrou mais firme e também é ajustável em 13 níveis no retorno e 7 níveis na pré-carga da mola.

Seu tanque de 19 litros mostra o caráter viajante da Versys, mas nada de encarar fora do asfalto, pois suas rodas de liga-leve são calçadas com pneus Dunlop idênticos da ER-6, 120/70 na dianteira e 160/60 na traseira, ambos de 17 polegas.

O câmbio é leve, macio, preciso e bem escalonado. Os freios estão bem dimensionados e o ABS mesmo exigido ao máximo não deu aquele retorno incomodo. Seu chassi é um diamond em aço.

O motor, apesar de ser o mesmo da ER-6 é mais manso, com 64 cv a 8000RPM e 6,2 Kgfm a 6800 rpm, que propicia excelente torque em baixas e médias rotações. O baixíssimo nível de vibração deve ser decisivo para o conforto em longas viagens. Apesar de não experimentada, a garupa parece ser bem confortável, já que o banco e a posição das pedaleiras privilegiam o acompanhante.

Por fim, senti falta de uma maior proteção aerodinâmica, mas nada que não se resolva com um pára-brisa maior. A nova dual-purpose ou maxi-trail é vendida somente na cor preta a R$33.990,00 e R$37.390,00 com ABS, no modelo 2010.