Mais crédito para motos: vale a pena trocar o transporte coletivo pela moto?

Vamos adotar o seguinte cenário de um trabalhador: todo dia ele percorre um trecho de 15 km entre a residência e o local de trabalho, com duração média de 1,5 horas nas grandes cidades, utilizando transporte público. No final do dia, ele totaliza 30 km e 3 horas perdidas no trânsito. Na semana de 5 dias, temos 150 km e 15 horas de idas e vindas. O gasto mínimo desse trabalhador gira em torno de R$ 180 mensalmente.

Qual a alternativa? Andar de moto financiada! No final de maio foi aprovada uma linha de crédito especial que destina recursos para financiamentos de motonetas e motocicletas de até 150 cilindradas usadas no transporte de mercadorias. O comprador poderá financiar até 100% do veículo, no valor,máximo de R$ 8,5 mil.

Vamos fazer alguns cálculos ligados à moto: esse tipo de veículo faz o trajeto de 15 km em cerca de 30 minutos e as motos de menor cilindrada fazem cerca de 30 km/l. Sendo assim, para percorrer 150 km gastam-se 5 litros de combustível (praticamente um tanque) ao custo de R$ 10 semanais ou R$ 40 mensais.

A economia mensal de R$ 140 permite que o trabalhador saia de moto após concretizar o financiamento de um modelo de 150 cilindradas no valor de R$ 4.500, em 48 parcelas mensais.

O problema é onde esse novo batalhão de motos vai trafegar…

*Marcos Crivelaro é professor PhD da FIAP e da Faculdade Módulo, especialista em matemática financeira e consultor em finanças. Coautor do livro Como sair do vermelho e tornar-se um investidor de sucesso.