Foto: Problemas com menos álcool - Bitenca

Menos álcool mais problemas – Que fim levou a FYM

Foto: Problemas com menos álcool - Bitenca

Foto: Problemas com menos álcool - Bitenca

Tenho uma duvida relacionada a mudança da dosagem de alcool na gasolina que segundo o governo passara dos 25% atuais para 20%. Isso trara alguns beneficios e talvez algumas perdas… beneficios de a gasolina menos misturada gastar menos que a mais misturada. e alguns problemas como o acerto dos motores… acredito que isso deve interferir muito nos motores carburados, e nem tanto nos injetados (possuo uma lander e sei que ela “sente” menos as diferenças de combustivel). Mas será que procede essa questão? vamos gastar menos? teremos problemas de acerto nos motores injetados? e nos carburados?
Willians, 22, Governador Valadares, MG

R: Vai gerar problemas sim Wilians, o motor carburado não tem o sensor de oxigênio que compensa em termos de tempo de injeção e avanço da ignição uma mistura mal queimada, mas para evitar detonação mesmo, que é uma explosão descontrolada e altamente prejudicial ao motor, só se tiver sensor próprio para isso (knock sensor). Daí a compensação é completa e a proteção é maior. Com a multiplicação dos motores flex nos automóveis e agora em alguns modelos das motos Honda, esse problema não existe pois há um programa que ajusta automaticamente os parâmetros do motor e evita toda uma situação que para os motores normais, da maioria das motocicletas vai causar muitos problemas de batidas de pino, excesso de temperatura e aumento de poluição. Principalmente nos modelos mais antigos, arrefecidos a ar.
Acho até que as fábricas deveriam orientar suas autorizadas nos ajustes necessários a cada produto que será prejudicado na sua regulagem padrão. A regulagem pode ser muito fácil e rápida para quem sabe o que fazer.

Foto: FYM - eles avisaram, Cuidado feito na china - Bitenca

Foto: FYM - eles avisaram, Cuidado feito na china - Bitenca

Agora fica a pergunta e nos modelos injetados que não possuem sonda Lambda( exemplo: Lander 06/07) ( so o modelo 2009 que passou a adotar esse sensor) eles sofreram os mesmos problemas dos carburados?

R: É possível Willians. Se não houver como a central resolver automaticamente a mudança da mistura, um ajuste manual deverá ser feito. Esse é um dos casos em que possivelmente a fábrica deva orientar as suas autorizadas. Nos motores carburados, normalmente, se mantém um certo excesso de combustível na proporção estoiquiométrica (ideal) para garantir uma temperatura mais amena e maior controle na câmera de combustão. É comum nesses casos e nas motos injetadas, que não contam com um controle direto dessa proporção, manter esse excesso para o mesmo fim. A adição da válvula PAIR, serve para injetar ar em pulsos sucessivos nos gases da exaustão exatamente para terminar a combustão e resolver o excesso de emissão de hidrocarbonetos.
Então é provável que esses motores também sofram as conseqüências da mudança da proporção do álcool na gasolina. Nossos políticos deveriam estudar um pouco mais antes de mudar as regras.
Na economia como na indústria, planejamento é tudo e acho que faltou um pouco disso também. Todo ano acontece uma entressafra e às vezes ela pode ser maior ou menor dependendo do clima, isso todo mundo sabe.
Desde a época do Proálcool quando acontece uma entressafra o preço do álcool sobe mas a política é diferente da engenharia, lá temos variáveis que surgem e desaparecem do nada.

Se planejar não é tudo, é quase tudo! O governo tomar certas decisões, que beneficiam alguns (proprietários de veiculos só a alcool) e esquece dos que tem veiculos funcionamento só a gasolina. Muitos sites ja falam tambem no aumento da poluição que será aumentada com essa medida. Por que não planejar? realmente todo ano tem entre-safra, e o consumo sempre esta aumentando. Outa coisa importante que eu li é que essa mudança pode ser de 3 meses, podendo ser reduzida para 1 mes ou prolongada por 4 meses… quando falamos em regulagens de veiculos, isso se traduz tambem em custos com mão de obra qualificada, e que talvez de fazer novamente em 1 mes ou em 4 meses, simplismente para atender a um desejo de algum grupo. Outro detalhe importante é que o alcool talvez mantenha ou abaixe de preço, mas a gasolina certamente vai encarecer.
Mais uma vez agradeço o Motonline e a toda a sua equipe por nos beneficiar com esse espaço, faço desse site uma leitura de referência.

R: Obrigado Willians, e não falamos da vistoria feita pelo DETRAN, melhor assim.


Em 2007, se falava se escrevia muito sobre a moto FYM 250, tanto optei pela compra de uma, que até hoje tem sido uma moto sem problemas.
A minha dúvida é que embora ainda exista algumas lojas de Assitencias Tecnicas, a euforia acabou.
Será que acreditamos que esta moto veio pra ficar, a fábrica seria instalada em Manaus e fomos enganados, tenho tentado em vão obter maiores esclarecimentos e nada.
Gostaria de saber se a FYM chegou ao FIM.
Um abraço, Luis, 53, Pedreira, SP

R: José, com a crise no início do ano passado os negócios com a empresa ficaram comprometidos. Guangzhou Panyu Hannan Group co., LTD, o grupo que produz ou produzia as FYM é controlado pela municipalidade de Guangzhou, China.
Muitos bancos internacionais investiram nessa municipalidade e com a crise, muitas companhias financiadas por esses bancos que quebraram sofreram grandes cortes nos investimentos e financiamentos. Problemas de caixa nos empreendimentos locais vieram como conseqüência. Informações concretas sobre a situação da empresa não há, mas também não há vendas no grupo. Afinal o governo de uma cidade não quebra ou se extingue como uma empresa nos moldes ocidentais. Quem sabe em algum momento ela ressurge das cinzas como uma fênix, vamos torcer. Abraços.