Foto: Buell Citycross XB9SX

Motos Buell mostram o poder de um conceito racional

Foto: Buell Citycross XB9SX

Foto: Buell Citycross XB9SX

Ideia de Erik Buell foi criar um novo tipo de relação na qual a moto “veste” o piloto e é a extensão do seu corpo

Racionalidade e lógica em busca do desempenho, da condução agradável e da diversão. Esse é o perfil das motocicletas Buell, uma marca jovem na essência, baseada na inovação, na tecnologia, no design revolucionário e na ousadia de romper com o jeito de fazer motos.

Motos com características inexistentes e nas quais Erik Buell aplicou a “trilogia da tecnologia” que se resume na centralização de massas, rigidez no quadro, neutralização do peso suspenso. O resultado é expresso pelo título de motocicleta que mais faz curvas do mundo, com a concentração dos principais componentes mecânicos na parte central, otimizando o centro de gravidade e, dessa forma, transmitindo ao condutor o mais perfeito domínio em qualquer tipo de utilização, especialmente em curvas e em terrenos acidentados.

O padrão das motos Buell faz delas objetos de desejo inigualável e constituem-se na Apple do mercado motociclístico mundial. E a sua produção em Manaus amplia a importância do Brasil no segmento e amplia a perspectiva de competitividade da marca no mercado nacional.

Como o próprio Buell define, a história da motocicleta mostra que grandes coisas podem acontecer quando se consegue unir à criatividade, uma visão clara e trabalho intenso. Essas motos refletem um sonho que começou com inspirações surgidas nos passeios que Erik realizava nos anos 80, hoje transformadas em realidade com a oferta de motocicletas vencedoras de muitos títulos em competições. Com esse conceito, as motos Buell têm como novidades principais os modelos “naked” City Cross XB9SX, XB12Ss e 1125CR, a maxi trail Ulisses XB12X e a esportiva 1125R, com motor refrigerado a água.

BUELL CITYCROSS XB9SX
Moto ágil, com torque que permite acelerações com poder real, assim é definida a Buell CityCross BX9SX, com motor bicilíndrico Thunderstorm em V a 45º, com 984 cm3 de cilindrada, potência de 80 cv, a 7.500 rpm, e torque de 79 Nm, a 4.500 rpm. Refrigerado a ar/óleo e com auxílio de ventoínha, esse motor foi desenvolvido para produzir curva de torque plana, com ampla alimentação em qualquer velocidade, o que elimina a necessidade de constantes reduções de marchas para enfrentar os obstáculos. Recurso importante do motor é o sistema eletrônico de injeção de combustível multiponto, que contribui para o desempenho e para a preservação ambiental. Outra característica adotada na Buell CityCross XB9SX é a posição vertical do piloto, obtida por intermédio do guidão largo, estilo supermotard, e controle intuitivo para ajudar em manobras mais exigentes.

O chassi da Buell CityCross XB9SX segue o conceito da trilogia tecnológica de Erik Buell, com quadro de alumínio com sistema de isolamento de vibrações e tanque de gasolina integrado. A suspensão dianteira é Showa, com garfo invertido com diâmetro de 43 mm e curso de 120 mm e regulagem de pré-carga da mola. A traseira também é Showa, com amortecedor único e reservatório externo de regulagem, com curso de 129 mm. A XB9SX tem freios ZTL, com disco flutuante simples de aço inoxidável na frente e 375 mm de diâmetro, pinça fixa de seis pistões. Na traseira, disco simples de aço inoxidável com 240 mm de diâmetro e pinça flutuante de um pistão.

As rodas são ZTL, de liga leve reforçada, com seis raios, aro 17, largura de 3,5 polegadas e pneus Pirelli Scorpion Sync 120/70 ZR-17 na frente e largura de 5,5 polegadas e pneus 18055 ZR-17 na traseira.

BUELL XB12Ss
O modelo Buell XB12Ss é equipado com motor bicilíndrico Thunderstorm em V a 45º, com 1.203 cm3, potência de 94 cv, a 6.800 rpm, e torque de 104 Nm, a 6.500 rpm. Com as mesmas características da XB9SX, possui suspensões elevadas, inspiradas no estilo supermotard e oferecem conforto e praticidade.

A suspensão dianteira é Showa, com garfo invertido com diâmetro de 43 mm e curso de 143 mm e regulagem de pré-carga da mola. A traseira também é Showa, com amortecedor único, com curso de 143 mm e reservatório externo sob o assento e regulagem de pré-carga da mola, compressão e retorno hidráulico.

Os freios são ZTL, com disco flutuante simples de aço inoxidável na frente e 375 mm de diâmetro, pinça fixa de seis pistões. Na traseira, disco simples de aço inoxidável com 240 mm de diâmetro e pinça flutuante de um pistão.

As rodas são ZTL, de liga leve reforçada, com seis raios, aro 17, largura de 3,5 polegadas e pneus Pirelli Diablo Diablo T 120/70 ZR-17 58 W na frente e largura de 5,5 polegadas e pneus Pirelli Diablo T 180/55 ZR-17 73 W na traseira.

BUELL 1125CR
A nova Buell 1125CR é equipada com motor Rotax Helicon bicilíndrico de quatro tempos, em V a 72º e refrigerado a água, com potência de 146 cv, a 9.800 rpm, e torque de 111 Nm, a 8.000 rpm, com alimentação eletrônica digital. O câmbio é de seis velocidades e a embreagem é multidisco hidráulico banhado a óleo com redução de esforço na troca de marchas.

A Buell 1125CR tem quadro de alumínio de dupla trave, completamente novo para a moto, e os princípios aerodinâmicos Quiet Zone. O tanque de combustível (com 21,1 litros) é incorporado ao chassi e o motor faz parte da estrutura, para aumentar a rigidez do conjunto.