Foto: Agˆncia

Novo roteiro para o Rally Dakar

Foto: Agˆncia

Foto: Agˆncia

O cancelamento da 30a edi‡Æo do Rally Dakar devido …s amea‡as de ataques terroristas me leva a estudar alternativas de roteiro para o futuro da prova.

Para limitar a criatividade, eu acho que inicialmente a prova deveria tentar manter um percurso pr¢ximo do original, largando da Europa e chegando a capital do Senegal, Dakar, evitando as  reas de risco.

Na verdade isso j  vem sendo feito pela organiza‡Æo. Nas primeiras 10 edi‡äes do Dakar, de 1979 a 1988, o desembarque na µfrica sempre aconteceu em territ¢rio Argelino, na capital Alger. Inclusive o nome oficial da prova era Rally Paris-Alger-Dakar. Devido ao crescimento da inseguran‡a no pa¡s, o roteiro mudou para a Tun¡sia e L¡bia.

Uma derradeira tentativa de voltar a Arg‚lia aconteceu em 1993, j  que a regiÆo tem ¢timas condi‡äes geogr ficas para a pr tica deste esporte. Mas foi um grande risco, um roteiro de etapa foi modificado as pressas e nunca mais o rali colocou seus p‚s por l .

Entrando na µfrica pela Arg‚lia ou pela L¡bia, para se chegar o Senegal se segue em dire‡Æo ao sul, onde encontramos os territ¢rios do Chade, N¡ger, Mali e Mauritƒnia.

Em 1991, …s v‚speras do dia D, ultimato do governo americano para Saddam Hussein tirar suas tropas do invadido Kuwait, a caravana do rali atravessava o Mali, quando o co-piloto de um caminhÆo de apoio foi assassinado a tiros, numa  rea onde havia conflito civil, apesar das garantias de seguran‡a oferecidas pelas autoridades locais.

A resposta da organiza‡Æo foi fazer um trajeto completamente diferente, onde o destino deixou de ser Dakar, e a edi‡Æo de 1992 terminou na Cidade do Cabo, µfrica do Sul. Apesar da medida, durante a travessia do Chade, a prova ‚ amea‡ada por rebeldes. Uma etapa ‚ cancelada e improvisado um desvio que foi duramente criticado pelos competidores, j  que nÆo houve qualquer escolta, nem ao menos um roteiro claro. J  antes da largada, estava prevista uma ponte a‚rea/naval, que levou competidores e m quinas, dos Camaräes para Angola, evitando o Congo, onde o momento era de conflito civil.

Eu j  comentei 1993. Para 1997 a organiza‡Æo, devido a questäes pol¡ticas, abandona a L¡bia. Um roteiro novo, largando de Dakar, indo at‚ o N¡ger, na cidade de Agadez e voltando a Dakar. Infelizmente, num evento totalmente desligado da prova, duas pessoas morrem num conflito entre tribos touaregs e o ex‚rcito local. A organiza‡Æo muda o trajeto de uma etapa, evitando a  rea de risco.

O N¡ger j  era tradicional no roteiro, mas este conflito entre o governo e tribos touaregs, tamb‚m afastaram o Dakar daquele territ¢rio, onde est  o famoso deserto do T‚n‚rr‚, que deu nome a um modelo das motos Yamaha que disputavam a prova.

Tamb‚m se fez uma tentativa de voltar para l , em 2000, na prova que largou de Dacar e chegou na cidade do Cairo, ao lado das pirƒmides do Egito, roteiro novo para marcar a virada do milˆnio. Infelizmente a amea‡a de um atentado terrorista obrigou a organiza‡Æo a cancelar quatro etapas e investir num gigantesco sistema de ponte a‚rea, para levar pessoas e equipamentos a salvo, de Niamei, capital do N¡ger, para Sabha, na L¡bia, a 3.000 quil“metros de distƒncia.

A partir de entÆo o rali passou a utilizar o Marrocos como porta de entrada da µfrica, seguindo para a Mauritƒnia. Diante das atualidades ‚ desnecess rio se comentar sobre a Mauritƒnia. O norte do Marrocos j  ‚ mais desenvolvido e tur¡stico, mas ao sul se encontra a regiÆo do Saara Ocidental, ainda insegura.

Portanto, percebemos que se forma um cinturÆo de inseguran‡a isolando a chegada a Dakar por terra. Inicialmente restaria a organiza‡Æo fazer toda a prova no Marrocos ou voltar … L¡bia e Egito, que somados resultam numa  rea muito maior. J  existem provas tanto no Marrocos como no Egito, que fazem parte do calend rio mundial.

Outras alternativas como a pr¢pria Europa, µsia e at‚ mesmo a Am‚rica do Sul, neste momento sÆo apenas campos das especula‡äes. Mas nÆo devem ser descartadas. Minha torcida, desde crian‡a, ‚ pelo Brasil.