MotoGP: imperdível

Números e bastidores da MotoGP na Catalunha

MotoGP: imperdível

MotoGP: imperdível

Este é o 23º ano consecutivo do Campeonato do Mundo no Circuito de Barcelona-Catalunha. A estréia do pista foi no GP de 1992. Seguem alguns números e fatos que relativos aos 22 eventos já disputados.

65 anos – O primeiro dia de treinos na Catalunha assinala o 65º aniversário da primeira corrida válida Mundial de Motovelocidade – a corrida de 350cc na Ilha de Man TT de 1949. Esta corrida foi ganha pelo britânico Freddie Frith, que pilotou uma Velocette. Firth venceria depois todas as corridas de 350cc de 1949 para se sagrar Campeão do Mundo.61 – A vitória de Marc Márquez em Mugello representou o 61º pódio do espanhol em Grandes Prêmios, o mesmo número de pódios conquistados por Jorge ‘Aspar’ Martinez e Pierpaolo Bianchi durante as respectivas carreiras. Mais um pódio para Márquez e o jovem igualará o número de resultados nos três primeiros de Marco Melandri. 

50% – A vitória de Marc Márquez em Mugello foi a 12ª vitória do piloto na classe de MotoGP™ em apenas 24 corridas, o que lhe dá um aproveitamento de 50% dos pontos disputados na categoria.

23 – Pol Espargaró celebrou o 23º aniversário na última terça-feira, 10/6.

16 anos – No dia da qualificação na Catalunha passam exatamente 16 anos sobre o dia em que Carlos Checa conquistou a segunda vitória num GP da classe de 500cc, em 1998, no circuito de Jarama, Madrid, com o compatriota espanhol Sete Gibernau no terceiro degrau do pódio ao comando de uma Honda V-twin.

11 anos – No dia da corrida na Catalunha passam exatamente 11 anos desde Loris Capirossi venceu a corrida de MotoGP de 2003 na Catalunha, a primeira vitória da Ducati na categoria rainha.

9 – O segundo lugar de Andrea Iannone no grid de Mugello fez dele o nono piloto diferente a largar na primeira fila no grid da MotoGP este ano. Os nove pilotos são: Andrea Dovizioso, Stefan Bradl, Álvaro Bautista, Andrea Iannone, Dani Pedrosa, Bradley Smith, Pol Espargaró, Marc Márquez e Jorge Lorenzo.

6 – Tito Rabat é o único piloto a terminar entre os quatro primeiros nas seis primeiras corridas de Moto2™ deste ano.

6 – A Honda venceu as últimas seis corridas consecutivas do MotoGP com Marc Márquez; esta é a primeira vez que a Honda venceu seis, ou mais, corridas consecutivas de MotoGP desde 2003.

5 – Com a vitória em Mugello, Romano Fenati tornou-se o primeiro italiano a conquistar três vitórias numa só temporada da classe de Moto3™/125cc desde Andrea Iannone em 2009.

4 – Apenas quatro pilotos somaram pontos em cada uma das seis primeiras corridas de Moto3™ de 2014: Alex Rins, Efren Vazquez, Alexis Masbou e Danny Kent.

0.65 segundos – O total acumulado de tempo a separar os vencedores dos segundos classificados nas seis corridas de Moto3 já disputadas em 2014.

3 – Apenas três dos atuais circuitos de GP contam com sequência mais longa de Grandes Prêmios: Jerez, Mugello e Assen.

2002 – A última vez que a Espanha não teve pelo menos um vencedor de GP nas três classes na Catalunha foi em 2002.

4 tempos – Durante a era das 4-tempos de MotoGP™, a Yamaha somou sete vitórias, a Honda três e a Ducati duas.

9 – Valentino Rossi é o piloto mais bem sucedido em todas as classes de Grandes Prêmios no circuito da Catalunha, com nove triunfos (1 x 125cc, 2 x 250cc, 1 x 500cc, 5 x MotoGP)

4 – Os segundos pilotos com mais sucesso na Catalunha, com quatro vitórias cada um, são Jorge Lorenzo (1 x 250cc, 3 x MotoGP) e Max Biaggi (4 x 250cc).

7 – Foram sete os pilotos espanhóis a terem já ganho corridas da categoria rainha na Catalunha: Alex Criville em 1995 e 1999, Carlos Checa em 1996, Dani Pedrosa em 2008 e Jorge Lorenzo em 2010, 2012 e 2013

1 – Houve pelo menos um piloto espanhol no pódio da corrida de MotoGP no GP da Catalunha nos últimos sete anos.

2 – Apenas dois pilotos venceram a corrida de MotoGP na Catalunha após terem feito a pole position: Valentino Rossi em 2006 e Jorge Lorenzo em 2010.

6 – Seis dos atuais pilotos da classe de MotoGP terminaram no pódio da categoria rainha no circuito da Catalunha: Valentino Rossi (10 vezes), Jorge Lorenzo (5), Dani Pedrosa (5), Andrea Dovizioso (1), Nicky Hayden (1) e Marc Márquez (1)

Dani Pedrosa fala

Pedrosa: sincero

Pedrosa: sincero

Antes da corrida em casa, Dani Pedrosa, da Repsol Honda, falou sobre seu inicio de temporada, onde se diz afetado pelo problema no ombro direito. Ele sabe que já passou da hora de conquistar sua primeira corrida este ano e deu uma perspectiva mais aprofundada sobre seu desempenho: “Melhorei o ponto fraco do no passado e consigo ter mais consistência ao longo dos 45 minutos de corrida, mas por outro lado perdi alguma agressividade nos primeiros 20 minutos da corrida”. Sobre o contraste entre a sua forma e a de Marc Márquez, Pedrosa revela que sua abordagem é diferente com a Honda RC213V e que até ao momento o colega de equipe tem conseguido tirar mais da moto. “Afinal, o que faz andar a moto é o piloto e somos diferentes…. é como duas pessoas com os mesmos tênis que certamente não farão a mesma maratona”, justificou

Sobre seu outro compatriota da Yamaha, Pedrosa enalteceu sua incrível regularidade. “Se olharmos para o registro de pista do Jorge nos últimos dez anos veremos que os números dele são impressionantes. Ele foi sempre o primeiro ou o segundo no Campeonato e sempre com muitas vitórias e bons resultados. A verdade é que o Jorge tem mantido o nível dele muito elevado há muito tempo e isso tem sido decisivo para seu sucesso”.

Mick Doohan fala

Doohan: opinião respeitada

Doohan: opinião respeitada

Vencedor de cinco títulos Mundiais consecutivos na categoria rainha, de 1994 a 1998, o australiano Mick Doohan acredita que o atual Campeão do Mundo de MotoGP™ Marc Márquez tem os atributos necessários para se tornar um dos melhores de todos os tempos na motovelocidade. Durante seus 11 anos de carreira nos Grandes Prêmios competindo com motos Honda, Doohan aponta a confiança como a principal qualidade que torna Márquez tão bem sucedido.

“Ele não tem medo, isso é certo!” diz Doohan de Márquez. “Ter essa auto-confiança é o que faz destacar-se. Valentino Rossi e Wayne Rainey tem isso e muitos outros também. Essa confiança faz a diferença”, afirmou o legendário campeão. “Há muito tempo que não víamos alguém como o Márquez a fazer o que faz numa moto e não cair. Isso deve-se tudo à confiança”, complementou. Questionado sobre se Márquez poderá se tornar o mais bem sucedido piloto de todos os tempos, o australiano respondeu: “Ele é claramente candidato a isso. O Rossi também teve um período muito bom. É certo que atualmente há mais corridas, mas nesse esporte a sorte tem um grande papel. O Márquez tem a idade do lado dele, tem o talento do lado dele e tem suficiente força mental para superar a todos e bater todos os recordes e mudar as estatísticas da categoria”, finalizou.