Paulinho Stedile volta ao Brasileiro de MX

Piloto paranaense disputa a primeira etapa da competi‡Æo, em mar‡o; Ele est  recuperado do acidente que o afastou das pistas por mais de um ano e meio

SÆo Paulo (SP) – Ideal alcan‡ado. Paulinho Stedile est  de volta ao Brasileiro de Motocross. O piloto paranaense concretiza o sonho de, recuperado, disputar novamente a mais importante competi‡Æo da modalidade no pa¡s. Em 2004, ele lesionou gravemente a coluna e se afastou das pistas. Ap¢s um ano e meio do acidente, voltou a competir em provas de veloterra e supermoto. O objetivo maior ser  atingido dias 3 e 4 de mar‡o, durante a etapa de abertura do Brasileiro de Motocross, na categoria MX2. Em Indaiatuba (SP), Paulinho Stedile reencontra a modalidade que o tirou das competi‡äes.

BicampeÆo brasileiro, ele se prepara para a prova desde meados de dezembro. “Recome‡ar a vida de piloto foi ¢timo. Eu gosto da rotina de treinamentos, de cuidar do condicionamento f¡sico e da alimenta‡Æo” , comentou. “E ter a oportunidade de voltar em uma equipe oficial como a Pro Tork Racing Team ‚ excelente”, completou o piloto, que desde 2006 veste as cores amarela e preta da marca.

O cora‡Æo bate forte em pensar no grid de largada. “S¢ o fato de estar ali j  ‚ uma grande conquista para mim.” O tricampeonato ‚ um sonho distante, mas nÆo imposs¡vel. “Pensar na vit¢ria ‚ complicado. Entrarei na prova visando subir ao p¢dio, conquistar um entre os cinco primeiros lugares. Isso j  seria extremamente vitorioso”, disse.

Sobre a MX2, Stedile confirma o alto n¡vel da competi‡Æo. “Os pilotos estÆo muito r pidos e sÆo jovens. Com certeza o esporte cresceu e o n¡vel dos pilotos acompanhou o passo”, afirmou. Desde o seu retorno ao esporte, em abril de 2006, Stedile conquistou bons resultados. Venceu sua primeira prova ap¢s o aciden te, a terceira etapa do Paranaense de Veloterra, e sagrou-se campeÆo brasileiro de supermoto.

O acidente aconteceu durante a etapa de abertura do Arena Cross 2004 na cidade paranaense de Marilƒndia do Sul. Uma disputa com o piloto Jorge Balbi fez Stedile cair e fraturar a coluna tÆo gravemente que o piloto permaneceu mais de dois meses sem os movimentos da parte inferior do corpo. Ainda hoje a fisioterapia faz parte da rotina de Stedile.

Al‚m de Paulinho Stedile, outro piloto da Pro Tork Racing Team estar  na disputa da MX2. O jovem Rafael Zenni garantiu presen‡a. “O Zenni ‚ um bom piloto. Seremos companheiros nessa briga”, comentou, mostrando que nÆo h  rivalidade dentro do time. Mais trˆs pilotos da equipe estarÆo na competi‡Æo: Nico Rocha e Milton “Chumbinho” Becker pela MX3 e JoÆo Paulino “Marronzinho” pela MX1.