Pequeno manual sobre o Rally Dakar

Devido …s in£meras d£vidas que recebemos a respeito do funcionamento de um rally, vamos esclarecer alguns pontos dessa forma de competi‡Æo nÆo muito popular aqui no Brasil. Para facilitar o entendimento, nosso termo de referˆncia ser  a F¢rmula-1

1 – Largada – Numa corrida de F¢rmula-1, todos os competidores largam juntos no grid. No rally, cada ve¡culo parte separadamente, em curtos intervalos de tempo. A ordem de largada ‚ definida pela classifica‡Æo atual dos pilotos (o que estiver em 1§ lugar larga na frente, e assim por diante). Em rela‡Æo …s categorias, as motos largam primeiro, seguidas pelos carros e finalmente pelos caminhäes.

2 – Percurso – Corridas de F¢rmula-1, Stock Car e F¢rmula Truck sÆo disputadas em circuitos fechados, percorrendo v rias voltas na mesma pista. No rally, o trajeto ‚ sempre de uma cidade para outra, ou de um ponto a outro. Esse trajeto ‚ dividido em trˆs partes:
– deslocamento inicial: trecho que os ve¡culos percorrem do acampamento at‚ o ponto onde a cronometragem ‚ iniciada. NÆo h  necessidade de ser r pido aqui, ‚ preciso apenas completar o percurso.
– trecho especial (cronometrado): ‚ onde os pilotos aceleram pra valer. O tempo que cada competidor gasta para percorrer o trecho especial ‚ o tempo que ser  contabilizado para sua classifica‡Æo em rela‡Æo aos outros competidores
– deslocamento final: trajeto percorrido pelos ve¡culos do ponto final de cronometragem at‚ o novo acampamento do dia. Novamente, nÆo ‚ preciso pisar fundo.
Enquanto o piloto de F¢rmula-1 precisa apenas decorar o tra‡ado de um circuito (que raramente ultrapassa os 10 quil“metros), o piloto de rally conta com a ajuda de um navegador para lhe “cantar” o percurso do dia. Nenhum deles conhece o trajeto antecipadamente. Ele ‚ descrito em uma planilha de navega‡Æo fornecida pela organiza‡Æo da prova antes de cada largada. Esta planilha deve informar tudo: as distƒncias a serem percorridas, os principais perigos e os pontos de referˆncia (boa parte do trajeto nÆo ‚ forma do por estradas, ou seja: os navegadores precisam descobrir qual ‚ o caminho a se seguir).

3 – Chegada – Para saber quem venceu uma corrida de F¢rmula-1 ‚ f cil: basta conferir quem cruzou a linha de chegada primeiro. No rally, a coisa ‚ mais complicada, pois os pilotos largam todos separados, um por vez. O primeiro a cruzar a linha de chegada do dia pode muito bem ter sido mais lento que o 14§ finalizador, por exemplo ( e esse ‚ o ERRO CLµSSICO das coberturas de rally: manchetes do tipo “Jean Azevedo ‚ o primeiro colocado do dia”, quando na verdade ele foi apenas o primeiro a terminar a etapa). No rally, saber a ordem de chegada serve no m ximo para fazer uma estimativa (se o quinto a largar foi o primeiro a terminar a etapa, ele foi com certeza mais r pido que os quatro competidores que largaram na sua frente). Para definir a classifica‡Æo de cada competidor, ‚ preciso compar ar seu tempo com o de todos os outros. Por causa disso, as tabelas de classifica‡Æo podem sofrer modifica‡äes mesmo horas ap¢s os primeiros competidores cruzarem a linha de chegada.  preciso muita aten‡Æo para nÆo deixar no ar informa‡äes completamente desatualizadas.

Para evitar esse problema, o site da Equipe Petrobras Lubrax (www.parisdakar.com.br) ter  suas not¡cias atualizadas a todo instante por jornalistas com experiˆncia em rallys, conforme novos resultados forem divulgados. Garantimos que esta ser  a melhor cobertura do Dakar em portuguˆs, com direito a informa‡äes exclusivas apuradas pelo jornalista Lino Bocchini, que acompanha a prova direto da µfrica.

Esperamos ter ajudado. Outras d£vidas, escreva para imprensa@parisdakar.com.br