Foto: Bitenca

Rebimbola da parafuseta, Resposta, Motos à prova de idiotas

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

RESPOSTA : Então Augusto, investigando as informações do texto só posso concluir que se trata de um profissional (pouco) querendo confundir seus clientes e talvez capitalizar com isso, veja bem: Consta da documentação para manutenção da fábrica a utilização de um programa gravado no processador da injeção de cada moto que faz o diagnóstico da injeção. Este programa tem códigos de defeitos para cada função do sistema, particularmente o do sensor referido no texto a Suzuki chama de IAPS ou Intake Air Pressure Sensor que leva o código C13 para indicar o seu mau funcionamento. Ora, claro que na fábrica ou em qualquer oficina autorizada que se faça o diagnóstico previsto na documentação de manutenção o defeito será identificado e sanado facilmente. O caso me parece mais com uma tentativa de culpar a rebimbola da parafuseta que a fábrica deixou de colocar na moto e o cientista maluco descobriu a fórmula secreta de resolver o problema para eles. Quanta pretensão, me faz lembrar de um truque que os “mecânicos” usavam nos carros com avanço de ignição à vácuo que desligavam a mangueira e esperavam o freguês voltar para “consertar” o motor que ficava fraco e sem aceleração.

Foto: Bitenca

Foto: Bitenca

Obrigado pelo motonline, obrigado por vcs existirem, sempre que escrevo sinto a satisfação da certeza de que serei respondido. Sobre os freios: As cbr tem um recurso que independente de pedal ou manete ambos os freios são acionados, esse recurso tem alguma utilidade e/ou possibilidade de implementação numa moto pequena de uso diário? (muitos me disseram que isso não existe, pode uma coisa dessas?!) Obrigado pela atenção. Wagner, 27, Cuiabá, MT

R: Wagner, na eterna tendência de desenvolver motos à prova de idiotas é que esses dispositivos aparecem. Pilotos que não sabem porque as motos não tem os freios em um pedal só como nos carros podem se beneficiar desse sistema. Como você deve saber a aplicação dos freios numa moto é otimizada se o piloto souber balancear dinamicamente a pressão sobre os dois freios para cada situação. Como o treinamento dos motociclistas parece que é cada vez pior, os fabricantes inventam formas de construir seus veículos à prova dos erros de condução. Você deve saber o que ocorre se numa situação de pânico agarrar o manete de freio dianteiro. Assim como, da mesma forma pisar com tudo no traseiro vai trazer consequências desastrosas. Motivo do surgimento do ABS que não deixa as rodas travarem nessas situações e a interligação “inteligente” dos dois freios que procura o balanceamento melhor para cada situação, acoplado ao computador do ABS. Então entra a sua pergunta com muita propriedade. Se as motos pequenas são as mais utilizadas pelos motociclistas iniciantes, porquê não são elas as beneficiadas por tais equipamentos…. A resposta é fácil, o custo. Ou seja, resumindo: Não há melhor conduta na vida do que o estudo, a pesquisa e o treinamento. Mesmo para a condução do seu veículo de uso cotidiano, sejamos Homo sapiens Abraços.