Em dia de etapa maratona, Paulo Gonçalves vence mas Marc Coma mantém a liderança na geral - foto de Ricardo Leizer / divulgação organização

Resumo da 5ª etapa

 

5ª etapa – segunda-feira 29/7
Percurso: Porangatu (GO) – Natividade (TO)
Deslocamento inicial: 82 km
Trecho Especial: 295 km
Deslocamento final: 110 km
TOTAL: 487 km

Terreno: Mais um dia completo. A especial começou por estradas menores com muitas erosões e depressões em uma região montanhosa. Depois seguiiu por um pequeno trecho de trial, e logo à frente começam estradas de piso bom e sinuoso, seguindo por partes de alta velocidade até o abastecimento. Depois disso a especial voltou a ter trechos bem travados e seguiu por vários quilômetros alternando estradas de pedra, areia e muita piçarra. No trecho final, ela ficou bem rápida e sinuosa.

 

Em dia de etapa maratona, Paulo Gonçalves vence mas Marc Coma mantém a liderança na geral - foto de Ricardo Leizer / Dunas Race

Em dia de etapa maratona, Paulo Gonçalves vence mas Marc Coma mantém a liderança na geral - foto de Ricardo Leizer / Dunas Race

COMO FOI A 5ª ETAPA

Já é o quinto dia de prova do 21º Rally dos Sertões e a disputa nas motos continua intensa, protagonizada pelo trio de feras internacionais: o espanhol Marc Coma (KTM), o português Paulo Gonçalves (Speedbrain 450 Rally) e o francês Cyril Despres (Yamaha), que estão nessa ordem classificados no acumulado dos tempos, a pouco mais de três minutos de diferença do primeiro para o terceiro. A vitória do dia ficou com Gonçalves, seguido por Coma e Despres. Por ser a etapa maratona, em que os competidores não contam com apoio mecânico ao final, os pilotos imprimiram um ritmo cauteloso.

Os competidores saíram de Porangatu (GO) rumo a Natividade (TO), para o dia mais longo do rali até agora, percorrendo um total de 487 km, dos quais 295 km cronometrados. O maior desafio do dia foi acelerar e ao mesmo tempo preservar o equipamento, em função da etapa maratona, onde ao final somente os próprios competidores poderão mexer nos veículos por 30 minutos que depois entram para parque fechado.

O líder da competição, Marc Coma, destacou que o dia foi de administração. “Dia mais travado, de muitas pedras e trial. Hoje foi mais questão de administrar o equipamento por causa da maratona, porque amanhã saímos do mesmo jeito que chegamos hoje”. O francês Cyril Despres, que venceu ontem, adotou uma estratégia conservadora também. “Resolvi poupar pneus para amanhã andar forte”, avisou.

Cyril Despres avisou: "Resolvi poupar pneus para amanhã andar forte" - foto de Eric Schroeder / Dunas Race

Cyril Despres avisou: "Resolvi poupar pneus para amanhã andar forte" - foto de Eric Schroeder / Dunas Race

Entre os brasileiros, o melhor do dia foi Dário Júlio (Honda Mobil de Rally), que terminou na sexta posição. A disputa entre os pilotos brasileiros está concentrada no trio de pilotos da Equipe Mobil Honda de Rally: com Ike Klaumann em sexto no geral, com três minutos de vantagem sobre o companheiro Júlio, o sétimo; e Jean Azevedo, veterano, seis vezes campeão brasileiro, que ocupa a oitava posição a 15 minutos de Klaumann, todos com Honda CBR450X.

 

Entre os pilotos nacionais, Ike Klaumann é o melhor colocado, na 6ª posição geral - crédito DFotos/VipComm

Entre os pilotos nacionais, Ike Klaumann é o melhor colocado, na 6ª posição geral - crédito DFotos/VipComm

“O dia foi bem duro, mas correu tudo bem. O mais importante foi manter a moto bem por causa da maratona. O dia teve trechos de alta, mas alguns mais travados e escorregadios. Amanhã penso em completar de novo a prova, e depois pensar em resultado”, comentou Ike Klaumann, catarinense da cidade de Rio Negrinho.

 

Dário Júlio foi o brasileiro melhor colocado nesta 5ª etapa - crédito Dfotos/VipComm

Dário Júlio foi o brasileiro melhor colocado nesta 5ª etapa - crédito Dfotos/VipComm

Mais uma desistência de brasileiros foi registrada nesta etapa. Desta vez foi Moara Sacilotti, que caiu e não teve condições de continuar na prova. A piloto foi examinada pela equipe médica e está bem, apenas com dores nas mãos e cabeça.

Moara Sacilotti, mais uma baixa brasileira no Sertões 2013 - foto de Ricardo Leizer / Dunas Race

Moara Sacilotti, mais uma baixa brasileira no Sertões 2013 - foto de Ricardo Leizer / Dunas Race


RESULTADO DA 5ª ETAPA MOTOS (extra-oficial):
1º PAULO GONCALVES 03:58:05
2º MARC COMA 03:59:07
3º CYRIL DESPRES 04:00:42
4º MICHAEL METGE 04:02:52
5º JAKUB PRZYGONSKI 04:02:59
6º DARIO JULIO 04:07:10
7º IKE KLAUMANN 04:07:51
8º JEAN AZEVEDO 04:10:15
9º FAUSTO MOTA 04:11:08
10º RICARDO MARTINS 04:15:34

RESULTADO ACUMULADO MOTOS (extra-oficial):
1º MARC COMA 11:38:59 –
2º PAULO GONCALVES 11:41:23 +00:02:24.0
3º CYRIL DESPRES 11:42:14 +00:03:14.1
4º JAKUB PRZYGONSKI 12:02:16 +00:23:16.7
5º MICHAEL METGE 12:02:39 +00:23:39.9
6º IKE KLAUMANN 12:09:31 +00:30:32.1
7º DARIO JULIO 12:12:12 +00:33:12.9
8º JEAN AZEVEDO 12:24:03 +00:45:03.6
9º RICARDO MARTINS 12:45:19 +01:06:19.1
10º FAUSTO MOTA 13:01:16 +01:22:16.6

CRONOGRAMA E DISTÂNCIAS DO RALLY DOS SERTÕES 2013:

COMO SERÁ A 6ª ETAPA – TERÇA-FEIRA 30/7

Percurso: NATIVIDADE (TO) – PALMAS (TO)
Deslocamento inicial: 27 km
Trecho de Especial: 355 km
Deslocamento final: 43 km
TOTAL: 424 km

Terreno: Esta será a etapa mais rápida do rali. Começa com estradas sinuosas, piso predominante de piçarra e cascalho seguindo por trechos de alta com longas retas. Haverá um pequeno trecho de areia até o abastecimento. A prova continua rápida, mas em seguida quebra o ritmo por duas vezes, seguindo por estradas menores e muito sinuosas. No último quarto, volta a ficar rápida com piso muito bom até a descida de uma serra onde encerra a especial.

 

Confira o resumo das etapas anteriores:

1ª e 2ª etapas

3ª etapa

4ª etapa