Jean Azevedo, piloto da Honda Racing Rally Team durante treino para Dakar 2014

Saiba tudo sobre o Dakar 2014

Jean Azevedo, piloto da Honda Racing Rally Team durante treino para Dakar 2014

Jean Azevedo, piloto da Honda Racing Rally Team durante treino para Dakar 2014

O princípio fundamental para todos competidores do Dakar terem em mente é ir até o fim. E este ano, a filosofia de extrema resistência será particularmente respeitada e desenvolvida com uma distância total nas especiais que não era superada há quase dez anos. Todas as categorias terão mais de 5.000 quilômetros: a variedade de terrenos será uma vantagem para os estrangeiros.

Jean Azevedo e Dário Júlio da Honda Racing Rally Team reprentarão o Brasil nas motos, no maior espetáculo off-road do planeta

Jean Azevedo e Dário Júlio da Honda Racing Rally Team representarão o Brasil nas motos

“Sabemos que o cansaço cumulativo é um dos elementos mais complexos a serem dominados no Dakar. Neste ano, aumentamos o grau de dificuldade para todos! Para as motos e os quadriciclos, também haverá duas etapas maratona, o que obrigará os pilotos a controlar o ritmo e cuidarem bem de seus veículos. Essa é a essência das corridas off-road.”, diz David Castera, diretor esportivo do Dakar.

São seis os brasileiros inscritos na disputa: na categoria Carros, o país terá duas duplas, Guilherme Spinelli/Youssef Haddad e Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin, ambas da Mitsubishi. Nas Motos, os nomes divulgados são dos pilotos Jean AzevedoDário Júlio. O piloto Ike Klaumann, da Equipe Honda desistiu de participar por estar se recuperando de lesões sofridas após uma queda durante participação no Atacama Rally, em novembro último.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO PARA MOTOS E QUADRICÍCLOS:

Programação do Rally Dakar 2014

Programação do Rally Dakar 2014

DETALHES DE CADA UMA DAS ETAPAS:

1ª etapa – Estabelecendo suas posições
Os competidores acordarão cedo para partirem pela estrada na região de Córdoba e darem a largada à corrida em um trajeto estreito que exigirá o máximo cuidado. Cada participante ainda estará bem descansado, permitindo que encarem serenamente os trechos com pedras e saltos às cegas. As habilidades dos competidores serão recompensadas na chegada, onde já terão cravado 800 quilômetros. Apesar dos intervalos não serem tão significantes a essa altura da corrida, ainda assim é importante manter as posições que estão buscando na classificação.

2ª etapa – Dunas cinzentas andam de mãos dadas com surpresas
A etapa especial mais rápida do rali, pelo menos em sua primeira parte, também será a qual os pilotos terão que enfrentar as primeiras dunas. E não será apenas um breve encontro com a areia: nos últimos 100 quilômetros, a exploração das dunas cinzentas de Nihuil será ainda mais intensa do que nas visitas anteriores. A areia é mais firme lá, mas a experiência oferecerá uma ótima visão das habilidades técnicas de cada um dos competidores. Em resumo, será um verdadeiro teste.

3ª etapa – O Aconcágua como um marco
Os competidores do Dakar 2014 terão o gosto do primeiro contato com as montanhas ao passarem pelo Pré-Andes. O Vulcão Aconcágua tem 6.962 metros de altura e observará o progresso dos veículos, dos quais uma parte irá ensaiar suas técnicas de condução em montanhas altas. Os motociclistas subirão 4.300 metros durante a etapa especial, passando ao longo do cume onde terão a impressão de estarem sobre toda a América. A descida os trará de volta à dura realidade dos pilotos do Dakar, já que terão apenas concluído a primeira parte desta etapa de maratona. Eles terão que garantir os trabalhos mecânicos de seus próprios veículos no acampamento isolado que foi montado para eles.

4ª  etapa – Montanhas e campo
A estratégia dos motociclistas entrará em cena: inicialmente suas habilidades de navegação serão seriamente testadas no começo da manhã e, então, eles irão encarar o problema dos pneus desgastados, uma vez que eles já foram muito utilizados no dia anterior. Já os pilotos dos carros terão um percurso ainda mais exigente. Os competidores do Dakar não enfrentam uma etapa tão longa desde a etapa histórica de Zouerata Tichitem em 2005. Eles terão que atravessar rios e descer os cânions em um cenário de Velho Oeste, além de ter cuidado com os outros participantes: já que estes terrenos são geralmente muito abertos, será completamente possível ultrapassar companheiros de competição.

5ª etapa – Uma noite em claro em Tucumán
Após dois dias de corrida com percursos completamente separados, todos irão se reunir para encarar a etapa mais longa do rali. Eles terão que ser extremamente resistentes para superar estes dois trechos da etapa especial que apresentará basicamente areia. Durante todo o dia, os competidores avançarão sobre trechos off-road: aqueles que tiverem avaliado mal os limites de seus motores estarão constantemente à beira do super aquecimento, ainda mais que as temperaturas da região são geralmente muito altas. No acampamento em Tucumán, os candidatos ao pódio terão sido reduzidos a um grupo seleto, já que muitos deles não farão mais parte deste grupo de elite. Para muitos outros, seus percalços mecânicos e em relação aos seus tempos se tornarão aparentes apenas no meio da noite.

6ª etapa – A busca pelo melhor tempo
Após deixarem Tucumán, os carros seguirão para o norte, dirigirão por parte da famosa Ruta 40 e continuarão no coração de uma das mais belas paisagens argentinas. As possibilidades para se distanciarem serão limitadas, mas os pilotos mais habilidosos poderão aproveitar a oportunidade de adicionar mais uma etapa em suas listas de vitórias. Uma nova ida às montanhas levará os motociclistas às margens dos rios. Eles terão que se manter em alerta até o final da etapa, já que a região é muito frequentada por animais de todos os tamanhos. Então, eles finalmente poderão descansar.

Sábado, 11 de Janeiro – Dia de Descanso em Salta
Alcançar o dia de descanso representa uma das principais metas intermediárias no Dakar. Alguns dos novatos do rali, que estão conscientes do quão difícil é o desafio, podem até considerar isso como uma pequena vitória. Assim, os pilotos e equipes serão recebidos com as honras de um pódio da metade do caminho no acampamento em Salta, onde uma primeira comemoração será organizada. Milhares de espectadores são esperados para ver e descobrir a Vila Dakar, assim como fizeram em Tucumán no ano passado. Lá, terão a oportunidade de estarem imersos no mundo do rali, aproveitar a grande variedade de entretenimento e atividades oferecidas, além conhecerem as principais figuras da corrida. Isso também permitirá que os competidores aumentem seus níveis de motivação e recarreguem suas baterias.

7ª etapa – Antes da salina plana, o labirinto de trilhas
A segunda etapa de maratona começará para os pilotos de motos e quadriciclos, que estarão saboreando a primeira visita do Dakar à Bolívia. Ao entrarem no país, os pilotos terão um choque visual e também serão perturbados pelo labirinto de trilhas pelas quais terão que navegar. Nessas áreas íngremes e montanhosas, a beleza do cenário e a variedade de cores não facilitarão nem um pouco o trabalho que os espera. As poucas vilas que serão distraidamente cruzadas pelos pilotos irão, por outro lado, oferecer pontos de passagem perfeitos. Como recompensa pelo empenho, eles poderão seguir para o acampamento em Uyuni, montado no extremo do salar a uma altitude de 3.600 metros.

8ª etapa – Uyuni, a visão do branco
O Salar de Uyuni é simplesmente o maior salar do mundo! E os motociclistas poderão perceber isso, já que terão que dar a volta nessa gigantesca extensão durante a oitava etapa do rali. O percurso será marcado ao redor e através do salar, uma maravilha que se estende por mais de 400 quilômetros, e também passará por diversas ilhas que tornam este local tão excepcional. A altura do Vulcão Tunupa (5.300m de altitude) será uma característica permanente na paisagem. É uma impressionante visão de estar sonhando acordado entre o céu e a terra com um pano de fundo branco, se o clima permitir.

9ª etapa – Uma descida brusca; emoções garantidas
O Dakar 2014 alcançará seu ponto mais ao norte em Iquique, onde os competidores verão o oceano pela primeira vez este ano. Acima de tudo, os pilotos e as equipes descobrirão as Dunas do Atacama novamente após a primeira parte de uma etapa especial que será um tanto quanto tediosa. Especialistas em dunas estarão no comando por uma distância de quase 150 km. As emoções estarão garantidas bem ao final do dia, nos últimos três quilômetros da descida a Iquique: há uma diferença de mais de 30% na altura da largada à chegada e quase não se recomenda brecar. A lei da gravidade exerce seu significado total: o acampamento não é longe!

10ª etapa – Não seria o Dakar sem fesh-fesh
A  especial, dividida em dois trechos com características muito distintas, começará com a descida em direção à costa do Pacífico. O progresso obtido na etapa do dia anterior pode ser aumentado na areia durante os primeiros duzentos quilômetros. Ainda mais habilidade será necessária para encarar esses trechos de fesh-fesh na segunda parte da etapa. Uma vez que esta difícil área tiver ficado para trás dos pilotos, eles estarão extremamente felizes em correr pelas trilhas das minas da região e, em especial, por serem recebidos pelo majestoso arco La Portuda, a um arremesso de pedra do acampamento em Antofagasta.

11ª etapa – O Atacama em todo seu esplendor
Além da distância, aqui os competidores serão colocados à prova por todas as dificuldades oferecidas pelo Deserto do Atacama e terão que mostrar todas as qualidades exigidas para corridas off-road. Após as trilhas das minas e dos vários rios a serem atravessados, os competidores terão que se diferenciar no coração das Dunas de Copiapó: os motociclistas mais rápidos devem gastar sete horas atrás dos guidões. Desnecessário dizer que neste dia decisivo não haverá falta de oportunidades para os competidores darem a volta por cima na corrida. Esta será a chave para a edição de 2014.

12ª etapa – Dunas: a última chance
O local escolhido em El Salvador a uma grande altitude eleva-se sobre o local usual do acampamento em Copiapó. Essa localização garantirá que a Camanchaca, a neblina da manhã que às vezes impede a largada das etapas, seja evitada. A areia estará presente no percurso novamente, em particular com uma grande cadeia de dunas a serem superadas no final da etapa especial. E se há dunas, consequentemente significa que veículos irão atolar. Sendo assim, nas categorias onde os competidores estiverem ombro a ombro, os líderes poderão se colocar em risco.

13ª etapa – Cuidado com os espinhos
Antes de admirar as encostas trazidas à vida pelas casas em Valparaíso, os competidores terão que subir os morros repletos de cactos durante a última etapa especial do rali. O orgulho e alegria de atravessar a linha de chegada estão se aproximando, mas as estatísticas são duras: todos os anos, um ou mais pilotos fracassam neste exercício final, então prudência é essencial! Mesmo tão próximo à chegada, a cautela é a melhor aliada dos competidores para assegurar sua presença no pódio final.

O Rally Dakar apresenta como novidade para 2014, a inclusão da Bolívia no percurso

O Rally Dakar apresenta como novidade para 2014, a inclusão da Bolívia no percurso

MAPA DO DAKAR 2014

Roteiro do Rally Dakar 2014

Roteiro do Rally Dakar 2014

Acompanhe os detalhes do Rally Dakar nas postagens diárias que o Motonline fará durante a realização da prova.