ducati-hyperstrada-casa-de-cora-coralina-02

Teste Ducati Hyperstrada – o nome não é exagero

O nome Ducati Hyperstrada diz tudo: pense numa Supermoto, daquelas com motor explosivo que te deixa atravessado na curva, ficando de lado como nas motos de cross. Adicione a isso uma postura confortável e uma ciclística apta a grandes velocidades em curvas, sem perder estabilidade nas retas.

Prontos para 2000 km de lindas estradas

Prontos para 2000 km de lindas estradas

Pequena, com entre eixos curto, leve, pesa 204 kg pronta para andar e com todo esse motor : 110 hp,  pode ser considerada a fórmula perfeita, associando grande esportividade, praticidade e capacitação ao turismo, numa escala bastante avançada.

A esportividade vem com uma segurança adicional fornecida pela eletrônica avançada. DTC (Ducati Traction Control) e ABS regulável de última geração proporcionam controle de piloto profissional, mesmo aos mais inexperientes. O DTC tem oito níveis e os modos de pilotagem são três, com ABS ajustável também. O motor é o 821 Testastretta 11º que está na segunda geração. Esse L2 Desmo produz 110 hp em 9.250 rpm e 89 Nm em 7.750 rpm, desempenho de gente grande.

A relação peso potência é de uma super esportiva, 110hp e 204 kg dá mais de meio hp por quilo

A relação peso potência é de uma super esportiva, 110hp e 204 kg, isso dá mais de meio hp por quilo

Na ciclística há total compatibilidade com o estilo Supermoto, adaptado ao turismo. Curta distância entre eixos (1490), até menor que a Hypermotard e rake (25,5º) ameno permitem manobras rápidas e radicais. Com a seleção de pilotagem no modo Sport e DTC/ABS minimizados a esportividade está no máximo, pode ir para a pista que não vai fazer feio. Na verdade fica até complicado andar nas ruas nessas condições, a embreagem fica nervosa aos inputs do acelerador e os pneus estarão sempre querendo deslizar. Melhor alterar para modo Touring ou Urban para uma condução mais “educada” e controlada.

Essas opções podem ser programadas em cada parâmetro individualmente, ao gosto do piloto. O guidão está mais alto (20mm) para conforto nas estradas e os assentos embora pequenos oferecem conforto suficiente para viagens longas. Entretanto, como o tanque permite pouca autonomia, as paradas serão mais frequentes do que o normal, o que acaba fazendo com que o assento não se torne um problema, não se cansa tanto. Os 2.300 km, ida e volta até Goiania do nosso teste com garupa passaram rápido e sem novidades, mas as paradas foram mais do que as desejadas, essa é a característica da moto.

Então, assim como a ‘Motard a ‘Strada vem com o pacote de segurança (Ducati Safety Pack). Ele auxilia no controle da moto e fornece mais segurança durante a condução, o DSP inclui sistema de frenagem Brembo com ABS Bosch na versão mais recente 9MP e o Ducati Traction Control (DTC) com oito níveis

A Hyperstrada é pequena, leve e nem por isso despojada de equipamentos, a ergonomia é excelente e a geometria perfeita para sua proposta

A Hyperstrada é pequena, leve e nem por isso despojada de equipamentos, a ergonomia é excelente e a geometria perfeita para sua proposta

Para as viagens ela conta com as malas laterais em tecido com base plástica. Os encaixes são fáceis de colocar e se fixam na moto com a chave de contato. Os fechos com zipper impermeabilizam de forma razoável, então para garantir é melhor colocar sua bagagem em sacos impermeáveis por dentro. Impressiona a quantidade de coisas que cabe nelas, são 50 litros em cada uma.

Nas retas a estabilidade é excelente e se mostra da mesma forma nas curvas também. Muito neutra, mesmo com todo peso adicionado, nessa hora é importante notar que o ajuste da pre carga da mola é bastante facilitado pelo manípulo giratório.

Embreagem assistida e deslizante

Embreagem assistida e deslizante

Freios Brembo duplos com ABS Bosh 9MP

Freios Brembo duplos com ABS Bosh 9MP

Malas laterais comportam 50 litros cada

Malas laterais comportam 50 litros cada

Suspensão totalmente ajustável

Suspensão totalmente ajustável

Ajuste da pé carga da mola traseira é fácil

Ajuste da pé carga da mola traseira é fácil

Nas curvas o limite é o cavalete central, ajuda na manutenção mas você não vai querer saber onde está, durante uma curva, não há sensores nas pedaleiras para lhe avisar que está no fim do limite. As peças rígidas é que farão contato, de uma forma nem sempre segura. De qualquer forma a moto faz muita curva e a colaboração da suspensão e dos pneus Pirelli Scorpion se faz notar. O chassi de treliça, famoso nas Ducati também colabora bastante na rigidez do sistema.

Nos terrenos irregulares, a suspensão mostra a sua esportividade, o que muitas vezes vem limitar o conforto, principalmente ao passageiro. Na nossa viagem, o terreno nem sempre favorecia e a pilotagem, mais emocionante, tinha que ser retraída para melhor conforto e segurança do passageiro. Numa viagem solo as diferenças são marcantes, o limite da moto, você vai sempre experimentar, mas na Hyperstrada vai ter que superar alguma limitação sua primeiro.

Como o forte dessa moto é a aceleração, o câmbio tem uma participação decisiva na sua performance. Trocas rápidas, sem o uso da embreagem são possíveis e com uma velocidade impressionante, quase tanto quanto seria com um sistema “quick shift”. Esse tipo de pilotagem exige bastante atenção para que essas trocas sejam precisas e no giro certo, daí não tem como errar. Nas reduções a embreagem deslizante mantém o controle nas frenagens intensas onde se adiciona o freio motor como auxiliar na desaceleração. A combinação dos dois sistemas, ABS e embreagem deslizante fica perfeita.

Consumo Km Acumulado litros Km/litro
120 120 7,0 17,17
197 317 11,9 16,59
160 477 9,2 17,39
146 622 8,2 17,81
219 841 10,7 20,40
198 1039 10,8 18,39
181 1220 9,0 20,14
170 1390 10,7 15,93
174 1564 8,9 19,62
172 1737 10,0 17,18
195 1931 9,6 20,24
Totais / média 1931 105,9 18,24

Assim é a Ducati Hyperstrada, uma moto de caráter esportivo, com a aparência de uma trail que adiciona habilidades que se prestam bastante ao turismo. Curvas rápidas, acelerações estonteantes, muita eletrônica  e um ronco inspirador. O preço de R$ 52.645,00 pela tabela FIPE em Novembro de 2016, pode não ser muito inspirador mas todo resto é, pode fazer sentido para você.

Ficha técnica Ducati Hyperstrada

Motor

Tipo Testastretta 11°, 2 cilindros em L, 4 válvulas por cilindro, Desmodrômico, arrefecimento a líquido
Cilindrada 821.1cm³
Diâmetro x curso 88 x 67,5 mm
Taxa de compressão 12,8:1
Potência 110 hp @ 9250rpm
Torque 89 Nm @ 7.750 rpm
Injeção de combustível Sistema de injeção eletrônica de combustível com sistema Ride by Wire completo
Escapamento Silenciador de aço inoxidável único com conversor catalítico e duas sondas lambda.

Transmissão

Caixa de câmbio 6 velocidades
Relação primária Engrenagens de corte reto, Relação 1,85:1
Relação 1=37/15 2=30/17 3=28/20 4=26/22 5=24/23 6=23/24
Relação final Corrente, Roda dentada dianteira 15, Roda dentada traseira 45
Embreagem Embreagem deslizante com discos múltiplos em banho de óleo autosservo com controle mecânico

Chassi

Tipo Chassi de treliça de aço tubular
Suspensão dianteira Garfos invertido de 43 mm
Roda dianteira 10 raios em liga leve 3,50″ x 17″
Pneu dianteiro Pirelli Scorpion Trail, 120/70 ZR17
Suspensão traseira Articulação progressiva com monoamortecedor totalmente ajustável. Ajuste de pré-carga de mola remoto. Balança monobraço em alumínio
Roda traseira 10 raios em liga leve 5,50″ x 17″
Pneu traseiro Pirelli Scorpion Trail, 180/55 ZR17
Curso da suspensão dianteira 130 mm
Curso da suspensão traseira 130 mm
Freio dianteiro Discos semiflutuantes de 2 x 320 mm, pinças Brembo radialmente montadas, 4 pistões, 2 amortecedores. Bomba axial com alavancas ajustáveis. ABS regulável como equipamento padrão.
Freio traseiro Disco de 245 mm, pinça de 2 pistões. ABS regulável como equipamento padrão
Instrumentação Painel digital multifuncional com iluminação de fundo branca, composto por segmentos de LCD para contador de rotações e uma área de matriz de pontos para todas as outras informações: hodômetro (total, viagem 1 e viagem 2), velocímetro, relógio, temperatura do líquido de arrefecimento, riding mode selecionado, consumo atual de combustível, consumo médio, velocidade média, temperatura do ar, tempo de viagem, indicador de intervalos de manutenção (Km), detecção de erros (diagnóstico) , menu de configuração e funções de personalização. Interface para o gerenciamento dos Riding Modes (ABS, potência de resposta do acelerador, controle de tração). Luzes: pressão de óleo, ponto morto N, aviso de combustível, indicadores, EOBD (diagnóstico), farol alto, intervenção do DTC (controle de tração) e imobilizador de impedimento (com chave desativada). Controle do farol: autodesligamento durante a partida do motor, autodesligamento depois de 60 segundos a partir da chave ativada sem dar partida no motor, luzes de emergência. O gerenciamento de chaves dos vários menus de função está integrada nos controles do interruptor à esquerda e à direita.

Dimensões e peso

Peso seco 181kg
Peso em ordem de marcha 204 kg
Altura do banco 830mm
Distância entre eixos 1490 mm
Rake 25,5°
Trail 104mm
Capacidade do tanque de combustível 16 litros
Número de assentos Banco duplo

Equipamentos

Equipamento padrão Três Riding Modes, Ducati Safety Pack (ABS regulável + Ducati Traction Control), Ride by Wire. Malas laterais de 50 litros semirrígidas, alça do garupa, cavalete central, para-lamas maiores dianteiro e traseiro, protetor de cárter, duas tomadas de 12V

Garantia e serviços

Garantia 2 anos de quilometragem ilimitada
Intervalos de serviço de manutenção 15,000 km /12 meses
Verificação de folga das válvulas 30,000 km

Fotos: Helena França