Foto: Yamaha - Foto divulgação

Tanque maior, Aditivo no óleo, Passa óleo pelo orifício, Moto Esporte Turismo

Foto: Yamaha - Foto divulgação

Foto: Yamaha - Foto divulgação

Olá, galera do motonline!! Blz? Bom… tenho uma CBR-450 e gostaria de saber se tem como eu aumentar a capacidade do tanque de 14 para mais litros (qt for possível) sem mudar as características da moto! Ou se conhecem quem poderia fazer um tanque de maior capacidade semelhante ao original (para não perder as características)! Obrigado Rodrigo, 27, Brasilia, DF

R: Rodrigo. O que se faz é adicionar um tanque extra, ligado na linha de combustível. Há tanques especiais no mercado, desenvolvidos para motos off-road, mas que podem ser adaptados para o seu caso. Outra solução seria adaptar um tanque plástico de gasolina de carro flex que tenha uma configuração e capacidade que lhe convenha, sendo possível sua fixação num bagageiro ou lateral. Se necessário pode até adaptar a bombinha se o reservatório extra tiver que ficar abaixo do nível do original, porque com uma conexão correta você pode encher o tanque original pelo respiro, por onde a bombinha de carro flex injetaria a partir do tanque extra.
Abraços,

Olá, Tenho uma CB 450 Tr com pouco mais de 150.000Km rodados, está em perfeito funcionamento, sem fumar ou desgastes demasiados. Estou pesquisando a algum tempo sobre o produto “Militec-1″, é um condicionador de metais, que promete reduzir o atrito das partes metálicas do motor. Jogando-se no google existem inumeras informações boas e técnicas a respeito, mas conhecendo a credibilidade do site resolvi tirar a dúvida com vocês. O produto cumpre o prometido? Ajuda a reduzir o desgaste interno do motor? Agradeço desde já. Rafael, 23, Rio de Janeiro RJ.

Foto: Triumph ST1050 - Bitenca

Foto: Triumph ST1050 - Bitenca

R: Rafael, de tempos em tempos recebo perguntas a respeito do Militec1. Se ele cumpre o que promete não sabemos, teríamos que realizar testes ou acompanhar quem os faça. Sabemos que há vários aditivos redutores de atrito no mercado e alguns são melhores do que outros. Mas especificamente para motocicletas, que têm a sua embreagem em banho de óleo o problema se torna crítico. Na verdade o atrito tem que haver no índice esperado pelo fabricante, para o funcionamento da embreagem, pois é ele que arrasta os discos acoplados à roda com os do motor para assim oferecer tanto o deslizamento necessário para transmitir o torque que coloca a moto em movimento na saída quanto o desligamento da tração para que o câmbio efetue a troca de marchas. Se esse atrito for reduzido na saída e ao tracionar fortemente a roda quando numa subida ou arrancada forte, o controle do deslizamento se perde e a embreagem pode “patinar” em demasia. Pode até contaminar os discos de fibra com o tal redutor de atrito ao ponto em que eles tenham que ser trocados, para que a embreagem volte a funcionar corretamente. Então, o redutor de atrito só se aplica quando a embreagem não for em banho de óleo, e isso é muito raro em motos de rua. Por isso, use apenas o óleo recomendado pelo fabricante.
Abraços,

Bom dia. Preciso fechar o orifício do cilindro da Cb 450, aquele que da passagem de óleo, coloquei o prisioneiro com borracha mas está dando passagem de óleo em alta rotação. Você tem alguma dica para me dar? Obrigado, Eduardo. 28, Gravataí, RS.

R: Não sei que orifício é esse Eduardo. A Honda costuma por porcas fechadas nos prisioneiros do cabeçote, com arruelas lisas para vedar os dutos de passagem de óleo que há ao longo desses prisioneiros. Não sei se é esse o seu caso, mas seja qual for, procure pela solução original da fábrica. Veja qual a peça correta a ser colocada no lugar na listagem ou vista explodida e providencie a sua aquisição. Não temos que reinventar a solução, ela já foi prevista na fábrica, é só você saber qual é.
Boa sorte,

:Por que a Honda abandonou o segmento das 600F??? Bitenca, boa noite! Li este artigo na sua coluna e fiquei surpreso. Não vi nenhuma referência às Yamaha, que com a FZ6S (semi-carenada)não só atende, como até supera o “vazio” deixado pelas 600F da Honda. Tenho uma (a segunda) Fazer FZ6S e quanto ao conforto que ela proporciona e o acabamento que tem, tá “prá lá” de bom. Não acha que poderia “incluir” as Yamahas em seus comentários? Enriqueceria bastante sua coluna na Motonline…Abraços. Junior. 49, Telemaco Borba, PR.

José, a categoria sport-turismo realmente tem sido abandonada pelos fabricantes, não só a Honda. A Yamaha FZ6S ou a Suzuki Bandit não pertencem a essa classe, embora se aproximem bastante. As duas com carenagem parcial
oferecem proteção suficiente mas não como uma autêntica Sport-Touring. A própria Honda tem no exterior, há vários anos ainda, as VFR mas estas não se encontram normalmente à venda no Brasil, POr aqui, esse ano foi apresentada no salão 2 Rodas a Triumph Sprint ST 1050. Única autêntica Sport-Touring à venda no Brasil. Incluímos todas as marcas em nossos comentários, inclusive Yamahas. Veja a
nova YZ450F de cross, e o teste da Midnight Star, motos fantásticas. Abraços,