Scooter

O mercado de motos, sem maquiagem

Enquanto o mercado de motos retoma seu ritmo de crescimento no Brasil, muitos consumidores se sentem atraídos para comprar uma moto. Esse interesse é natural e a tomada da decisão sobre qual marca, modelo, estilo e tamanho de motocicleta torna-se muito importante para que a decisão de compra seja consciente e segura. Uma das melhores formas de assegurar a escolha é reunir o maior volume de informações pertinentes sobre as principais marcas disponíveis, sobre quais tipos e tamanhos de motocicletas existem e estão mais em evidência, entre outras várias referências que podem dar uma boa indicação ao consumidor, além de mostrar para onde o mercado se movimenta.

Trail

Motos do segmento trail, que teve grande perda em 2016, mas mostra muita força para crescer com vigor nos próximos anos

Ter uma noção sobre o histórico das vendas de cada marca pode indicar inclusive o comprometimento que cada uma tem com o consumidor brasileiro. Por isso Motonline reuniu informações baseadas nos números de vendas que a Fenabrave – Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores – divulga todos os meses. São números transparentes, sem qualquer maquiagem, pois baseiam-se nos emplacamentos registrados diariamente pelo Denatran – Departamento Nacional de Trânsito. Nosso objetivo é que você tenha acesso fácil à uma informação que normalmente não está disponível, mas que consideramos muito importante a você que vai tomar a decisão de empenhar parte de seu patrimônio em uma moto. As informações sobre vendas de motos estão divididas em 3 segmentos: por Marcas, por Estilo e por tamanho do Motor.

Motos por Marcas

Consideramos apenas as mais importantes e que hoje mostram força e seguem atuantes no nosso mercado. De uma maneira geral, todas as marcas seguem a tendência de retomada do crescimento a partir de 2018. Das marcas que vendem maior volume de motos, apenas Suzuki, Dafra e Shineray não parecem ter força para reverter a tendência de queda. Algumas como Ducati e KTM possuem números para registro há menos tempo, mas nem por isso são menos significativos.  Note também uma semelhança no gráfico de BMW, Harley-Davidson e Triumph, três marcas que vendem motos “premium” (acima de 500 cm³), o que indica comportamento de mercado diverso de outros segmentos.

Motos por Estilo

A primeira observação importante a ser feita é que consideramos os estilos de acordo com as definições dadas pela própria indústria. Talvez fosse pertinente termos separado as “sport-touring”, aquelas motos grandes que possuem itens de proteção para quem viaja (carenagens, para-brisa, etc…) e que não são nem esportivas nem para turismo especificamente. Mas isso seria preciosismo demais e por isso as deixamos ou no segmento Sport ou no segmento Touring. Aproveitamos também para incluir as chamadas “crossover” entre as Touring, apesar da indústria as considerar como bigtrail. Essas são aquelas motos com chassi parecido com bigtrail, mas pneus, rodas e equipamentos para uso urbano e para turismo. É o caso das Kawasaki Versys 650 e 1000, das Honda CB 500X e NC 750X, entre outras. Note ainda que separamos em um novo, pequeno e crescente segmento as motos clássicas.

Motos por Motor

A análise do mercado por tamanho dos motores reflete o amadurecimento do mercado de motos no Brasil. Naturalmente concentrado nos motores pequenos, percebe-se que os motores que estão entre as duas pontas (entre 150 cm³ e 1000 cm³) tendem a apresentar crescimento maior, tirando a forte concentração da produção de motos pequenas, normalmente urbanas e para motos com valores menores no mercado. Note também que enquanto esse segmento base cai de forma constante, o segmento seguinte consegue se manter. E isso reflete claramente no terceiro degrau (300 cm³ a 500 cm³), que reagiu com crescimento antes dos outros. Tudo isso demonstra esse amadurecimento do mercado e do consumidor, que caminha para uma venda de motos cada vez mais equilibrada.

Separador_motos



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.