Jorge Lorenzo, da Yamaha Factory Racing, levou a cabo prestação perfeita este domingo no Grande Prémio Aperol de São Marino e da Riviera de Rimini, liderando desde a partida para assinar brilhante vitória

Lorenzo leva Yamaha ao pódio em Misano com vitória perfeita

Jorge Lorenzo, da Yamaha Factory Racing, levou a cabo prestação perfeita este domingo no Grande Prémio Aperol de São Marino e da Riviera de Rimini, liderando desde a partida para assinar brilhante vitória

Jorge Lorenzo, da Yamaha Factory Racing, levou a cabo prestação perfeita este domingo no Grande Prémio Aperol de São Marino e da Riviera de Rimini, liderando desde a partida para assinar brilhante vitória

Enquanto o australiano pressionava Lorenzo foi respondendo, impondo um ritmo fortíssimo para aumentar a vantagem de forma gradual. A prestação sem mácula também resultou em novo recorde da pista com o tempo de 1m33,906s que assinou na 12ª volta.

Lorenzo contou com a companhia do lendário piloto da Yamaha e tri-Campeão do Mundo Wayne Rainey, que recebeu o troféu de equipas. Rainey fez um regresso emocionado a Misano neste fim-de-semana, 18 anos depois de ter terminado a carreira na pista. A visita inseriu-se na celebração do 50º aniversário da Yamaha nos Grandes Prémios.

Ben Spies trabalhou arduamente durante todo o dia contra condições quentes e húmidas e com uma afinação longe de perfeita. Depois de ter partido de quarto o texano caiu para sétimo antes de recuperar terreno de forma gradual e passar o herói da casa Valentino Rossi. Depois de deixar o italiano atrás de si Spies foi atrás de Simoncelli e Dovizioso. O americano conseguido reduzir a diferença para 0,2s, mas a luta dos italianos fez com que fosse impossível fazer uma ultrapassagem limpa, acabando por terminar em sexto.

Jorge Lorenzo:
“Hoje foi um dia incrível para nós. Fiz uma boa corrida; foi muito dura e longa. O mais importante foi termos voltado a ganhar e também termos reduzido a diferença para o Casey. Quero dedicar esta vitória ao Wayne, que regressou a Misano este fim-de-semana e quero também agradecer a toda a minha equipa pelo trabalho feito. Agora temos duas semanas antes de Aragón, espero continuar a este nível no meu país. Amanhã vou voltar a testar a 1000cc da Yamaha; estou desejoso por rodar com a minha futura moto. Este foi um dos melhores dias da minha carreira!”

Ben Spies:
“Começámos uma boa afinação, mas não cheguei a andar muito em frente durante todo o fim-de-semana, lutei sempre com problemas de aderência lateral. Também estava com grandes sensações com a frente, pelo que testámos algo novo no warm up desta manhã, o que, honestamente, foi um desastre. Mudámos a frente dramaticamente antes da corrida, o que se revelou bom, mas precisei de algumas voltas para ganhar confiança porque a mudança era grande. Assim que passei o Rossi comecei a sentir-me mais confortável e consegui apanhar o Dovi e o Simoncelli, mas ainda estava com problemas de aderência lateral e não podia aproximar-me o suficiente para atacar. Dei o máximo que pude, mas não consegui terminar nos cinco primeiros. Tenho de agradecer à equipa por todo o trabalho em busca de soluções para os problemas deste fim-de-semana.”