x_etapa-arenacross_matheus-klysman_por-danyllo-proto-soares_m

Honda Talent Test é porta de entrada para novos talentos

Quando um piloto alinha no gate para a largada em uma prova de alguma categoria off-road do motociclismo nacional é porque ele já comeu muito poeira, já ralou bastante e demonstrou talento para estar ali. Uma das portas de entrada para chegar lá é o Honda Talent Test (HTT), projeto voltado apenas a jovens talentos. Como empresa líder e que mais investe no esporte e na formação de pilotos, a Honda atua fortemente há mais de 40 anos nessa área e considera este um dos projetos mais adequados para investir na base do esporte e garimpar novos pilotos.

Matheus Klysman (à direita), selecionado no Honda Talent Test 2019, e Cale Neto, chefe de equipe (foto:Idário Café/Mundo Press)

Matheus Klysman (à direita), selecionado no Honda Talent Test 2019, e Cale Neto, chefe de equipe (foto:Idário Café/Mundo Press)

Claro, inicialmente estes jovens talentos vão competir nas equipes da Honda Racing e também para os times satélites da marca em diferentes modalidades do motociclismo. Mas depois que a porta abriu, os pilotos “voam” na carreira. Em 2019, o foco do Honda Talent Test ficou com o motocross e o selecionado para fazer parte da Honda Racing foi Matheus Klysman, de Anápolis (GO). O piloto de 20 anos representa a equipe na categoria MX2, com a moto CRF 250R, ao lado dos catarinenses Lucas Dunka e Leonardo Souza – também revelados pelo HTT, só que em 2018. O trio luta pelo título da classe no Brasileiro de Motocross e no Arena Cross.

Como funciona o Honda Talent Test?

Criado há dois anos no Brasil, o HTT reúne candidatos para uma bateria completa de testes, tanto físicos quanto práticos com moto, durante a pré-temporada. Uma comissão formada por chefe de equipe, instrutores, pilotos oficiais e representantes da Honda Racing avalia o desempenho para eleger os novos integrantes do time. Além de transparente, o trabalho desenvolvido no programa estimula o crescimento do motociclismo. “O HTT tem sido essencial no trabalho de desenvolvimento do esporte de duas rodas no Brasil e é a partir dele que pode ocorrer a renovação com jovens e promissores talentos”, aponta Fábio Taddone, Supervisor de Sports Marketing da Moto Honda da Amazônia.

Pedro Sampaio, que disputa a SuperBike Brasil ao lado de Eric Granado, também foi selecionado pelo HTT

Pedro Sampaio, que disputa a SuperBike Brasil ao lado de Eric Granado, também foi selecionado pelo HTT

“O HTT é fundamental para encontrar os talentos no momento certo, pois coloca os pilotos sob pressão. “Conhecemos os pilotos, mas o HTT serve para colocá-los sob pressão e avaliamos não apenas a atuação do candidato dentro da pista, mas também o comportamento e sociabilidade”, explica.como explica Cale Neto, chefe de equipe da Honda Racing de motocross. Outros dois participantes da seleção deste ano ganharam vagas nas equipes satélite de motocross. São eles Reginaldo Ribeiro, o “Juninho”, também disputa as provas pela categoria MX2, enquanto Rafael Araújo, o “Bubinha”, defende o time na categoria MX2 Jr.

O HTT atua também na Motovelocidade. Pedro Sampaio é um dos destaques na motovelocidade e corre ao lado de Eric Granado. “Muitos pilotos sonham em estar na equipe Honda e com o projeto é possível tornar esse sonho realidade. O HTT mudou completamente a forma como acelero e como eu levo a vida. Com certeza é o maior marco da minha carreira”, destaca o jovem piloto gaúcho que terminou a temporada passada na terceira colocação na principal categoria da motovelocidade, a SuperBike Brasil.

Separador_2



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.