brasil-regiao

Motocicletas: venda cresce 17,9% no 1º trimestre

Uma vigorosa alta de quase 18% nas vendas no varejo no primeiro trimestre de 2019 revela que o otimismo tomou conta do setor de motocicletas no Brasil. Os dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) revelam o volume de 258.562 motocicletas emplacadas entre janeiro e março deste ano contra 219.304 no mesmo período de 2018. Essa comparação sugere aumento de vendas bem acima do previsto anteriormente pela Abraciclo, associação que reúne os fabricantes de Motocicletas. Por isso a entidade revisou suas projeções para este ano, estimando que produção, vendas no atacado e no varejo devem crescer algo próximo de 6% em 2019.

Street puxam vendas

As street, como a Honda CG 160, puxam o crescimento, com mais de 50% da preferência do mercado

Traduzido em números, significa que a indústria deverá produzir este ano cerca de 1.100.000 unidades, vai vender às concessionárias 1.060.000 unidades e estas deverão vender aos consumidores algo próximo de 1.020.000 motocicletas. A diferença é um pequeno volume de motos para exportação, apenas para a Argentina e mais algumas poucas motos especiais para prática esportiva aos Estados Unidos e Canadá, já que as motocicletas fabricadas no Brasil não tem preço competitivo para abrir mercados em outros países.

Fermanian: Crescimento consistente e projeção de produção e vendas maiores positivas

Fermanian: Crescimento consistente e projeção de produção e vendas maiores para o mercado de motocicletas

Essa passagem de patamar para a casa do milhão é muito significativa, mas ainda deixa o setor no mesmo nível de 2004, com muito espaço para crescer e recuperar o patamar histórico de vendas de 2011, com mais de 2 milhões de motocicletas. “Esse forte crescimento no primeiro trimestre superou nossas expectativas e deveu-se principalmente ao aumento da confiança do consumidor na recuperação econômica, estimulando a oferta de crédito pelos bancos e financeiras, além da própria indústria ter aumentado a produção e a oferta de produtos”, resume Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

4.410 motocicletas por dia

O melhor termômetro para avaliar se a venda de motocicletas é consistente costuma ser a venda por dia útil, medida diretamente vinculada com a emissão de nota fiscal ao consumidor pela concessionária. E em março este número chegou a 4.410 motos por dia, o que é um patamar bem melhor do que era no final de 2018, com 3.800 motos vendidas por dia. “Devemos lembrar ainda que feriados e finais de semana não são computados e que em março de 2019 tivemos 19 dias úteis, dois a menos que no mesmo mês do ano passado e um a menos que fevereiro e, mesmo assim, foram licenciadas 83.798 motocicletas, elevação de 5,6% ante março de 2018″, explica Fermanian. Quando se compara a venda diária de motocicletas com março de 2018, o aumento é ainda mais significativo e chega a 16,8% – 4.410 contra 3.777. “O aumento na média diária comprova a retomada do setor”, complementa Fermanian.

Saiba mais sobre o mercado brasileiro de Motocicletas

Confira mais alguns números da venda de motocicletas no mercado brasileiro no primeiro trimestre de 2019:

  • As street lideram o ranking de vendas, com 51,8% de participação;
  • As trail ficam em segundo lugar, com 19,4% de participação;
  • Motonetas (15%), scooter (7,5%) e naked (2,4%) aparecem na sequência;
  • Crescimento por região:
    • 21,7% no Nordeste;
    • 18,9% no Sudeste;
    • 17,3% no Centro-Oeste;
    • 15,5% no Sul;
    • 7,8% no Norte.

separadorabraciclo



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.