Agora, a solitária (e remodelada) MT-07 tem a missão de representar a Yamaha no segmento de nakeds médias

Yamaha MT-07 2019 ganha pequenos ajustes

Sem qualquer mudança desde seu lançamento, em fevereiro de 2015, a Yamaha MT-07 chega agora na sua versão 2019 com pequenas mudanças para permanecer entre as motos mais vendidas do segmento das naked médias, que inclui motocicletas equipadas com motores entre 500 e 800 cm³ de capacidade cúbica.

Se olharmos para esse segmento hoje, encontramos oito motos, sem contar as eventuais versões. Veja na tabela abaixo que a MT-07 está entre as três primeiras em volume de vendas e isso é muito significativo, principalmente quando levamos em consideração que o consumidor tem uma enorme lista de boas motos para escolher, também com valores e características semelhantes.

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Apresentação da moto na balada (foto de Gustavo Epifânio)

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Passeio pelas ruas de São Paulo (foto de Gustavo Epifânio)

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Yamaha juntou fãs da família MT e jornalistas para o passeio (foto de Gustavo Epifânio)

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Banco mais largo aumentou conforto (foto de Gustavo Epifânio)

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Passeio noturno de Yamaha MT-07 em São Paulo (foto de Gustavo Epifânio)

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

A MT-07 cinza com detalhes em amarelo marca-texto se destaca (foto de Gustavo Epifânio)

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Cena noturna paulistana combina com a moto (foto de Gustavo Epifânio)

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Suspensões mais duras incomodam um pouco nas ruas ruins de São Paulo (foto de Gustavo Epifânio)

Yamaha MT-07

Yamaha MT-07

Paschoalin ensaia antes da apresentação da moto (foto de Gustavo Epifânio)

A Yamaha, no entanto, simplificou a lista de concorrentes e na apresentação da nova MT-07, incluiu apenas as motos com motores com capacidade cúbica em torno de 650 cm³: Honda CB 650, Kawasaki Z650 e Suzuki SV 650 (Gladius). Mas no segmento podem ser incluídas também Suzuki GSX-S 750, Honda CB 500F, Kawasaki Z650, Triumph Street Triple e a própria Yamaha XJ6n, que ainda está na linha de produtos da marca, mas que não parece ter vida longa.

MT-07 2019, by Rafael Paschoalin

MT-07 2019, by Rafael Paschoalin (foto de Gustavo Epifânio)

MT-07: poucas mudanças

A irmã do meio da família MT (Master of Torque), que tem ainda a “pequena” MT-03 e as maiores MT-09 e MT-09 Tracer aqui no Brasil, com modificações no design, no banco do piloto e nas suspensões. O motor permanece exatamente o mesmo e a Yamaha destaca o torque oferecido pelo motor da moto – “brutal” e “monstruoso” são dois adjetivos utilizados pela marca para descrever essa característica da MT-07 – que garante acelerações e retomadas de velocidade realmente empolgantes.

Esse motor possui tecnologia crossplane, que torna a entrega do torque e da potência do motor mais linear, sem buracos. O que faz isso acontecer é o intervalo de explosão entre os dois cilindros, que é de 270º. A capacidade cúbica dos dois cilindros é de 689 cm³, com duplo comando de válvulas no cabeçote (DOHC) cm 4 válvulas em cada cilindro, arrefecido a líquido e alimentado por injeção eletrônica (só gasolina), que desenvolve 74,8 cv de potência máxima a 9.000 rpm e torque máximo de 6,9 kgf.m a 6.500 rpm.

A MT-07 2019 mantém seu visual street fighter, com linhas agressivas e limpas, com as partes do motor e do chassi se destacando no cenário. Sem mudança na capacidade, o tanque de combustível (14 litros) mudou pouco e agora tem novos defletores de ar e abas no radiador, que melhoram o fluxo de ar para o cabeçote do motor. O para-lama e o farol dianteiro também foram remodelados. No desenho também mudaram as cores, agora com o já tradicional da marca azul metálico, o preto fosco e o cinza metálico com partes em cinza fosco e a roda e mais alguns detalhes em verde marca-texto.

Para trazer mais conforto tanto para o piloto quanto para a garupa, os bancos foram completamente redesenhados e agora estão mais largos e ergonômicos, permitindo pilotar por mais tempo sem incômodo no uso urbano ou na estrada. No entanto, a espessura e a densidade da espuma utilizada parece ter ficado mais dura, o que traz um certo desconforto ao passar em buracos, algo bem comum nas nossas ruas e estradas.

Paschoalin explica a nova Yamaha MT-07: monstruosa!

Paschoalin explica a nova Yamaha MT-07: monstruosa!

Outra mudança importante está nas suspensões, que foram recalibradas para ficarem mais rígidas e oferecerem maior esportividade à moto. No amortecedor da suspensão traseira – tipo monocross -, além da nova calibragem ele conta agora com a possibilidade de ajuste de retorno, além das 9 posições já existentes para ajuste da pré-carga da mola através da porca castelo. O objetivo dessa mudança é dar à nova MT-07 mais agilidade e estabilidade, o que resulta em melhor controle para o piloto, o que reforça a segurança.

Sem mudanças, os freios da MT-07 2019 traz dois discos flutuantes de 282 mm e pinças de 4 pistões cada na dianteira, e um disco de 245 mm e pinça simples na traseira, ambos com ABS. O painel também é o mesmo e fica posicionado ao centro do guidão, com a chave de ignição da moto à frente, sobre o farol dianteiro, aliás, que teve pequena mudança.

Modelo

Vendas 2018 (até setembro)

Preço FIPE (out/2018)

Honda CB 500F 1.754  R$            25.957,00
Honda CB 650F 1.331  R$            36.191,00
Yamaha MT-07 992  R$            32.660,00
Suzuki GSX-S 750 981  R$            36.801,00
Yamaha XJ6 N 783  R$            35.124,00
Kawasaki Z650 203  R$            33.667,00
Triumph Street Triple S 193  R$            41.372,00
Suzuki SV 650 Gladius 91  R$            29.330,00

Totalmente digital, o painel tem uma peça única com display em LCD que traz informações do relógio, indicador de marcha engatada, marcador de nível de combustível no tanque, conta giros em barras que indica a faixa de melhor torque entre 4.000 e 8.000 rpm, hodômetro total e parcial, consumo médio, consumo instantâneo, temperatura do líquido de arrefecimento, temperatura do ar de admissão e o indicador “Eco”, que mostra quando a motocicleta está consumindo de maneira eficiente o combustível considerando rotação do motor, ângulo de abertura da borboleta, velocidade da motocicleta e indicador de marcha.

Outro destaque da moto é o chassi tubular muito compacto, cujo motor faz parte da estrutura. Essa arquitetura permite que a moto tenha medidas muito compactas – 1400 mm de entre eixos, por exemplo – e baixo peso –  são 183 kg em ordem de marcha, o que determina uma relação peso/potência de 2,4 kg/cv, resultado muito bom e que é atestado pelo piloto Yamaha Racing de corridas de rua, Rafael Paschoalin, que em breve vai disputar novamente a desafiadora subida de montanha Pikes Peak, ao guidão da nova MT-07.

A escolha de Paschoalin se deve à agilidade e rapidez da MT-07. “Muito estável e firme na trajetória, consigo ser rápido na retomada de velocidade no percurso do Pikes Peak e o torque sempre presente faz com que eu ganhe velocidade com maior rapidez”, explica Paschoalin. E complementa: “A MT-07 é monstra”. Para quem se encantou em ter essa “monstra”, ela estará disponível na rede de concessionárias Yamaha a partir do dia 20 de outubro de 2018 ao preço público sugerido de R$33.790,00 (+ frete).

Ficha Técnica Yamaha MT-07 2019

Comprimento total 2085 mm
Largura total 745 mm
Altura total 1090 mm
Altura do assento 805 mm
Altura mínima do solo 140 mm
Peso em ordem de marcha 183 kg
Distância entre eixos 1400 mm
Motor 2 cilindros em linha, 4T, DOHC, 8 válvulas, arrefecimento líquido
Capacidade cúbica 689 cm³
Diâmetro X curso 80×68,6
Taxa de compressão 11.5:1
Torque máximo 6,9 / 6.500
Potência máxima 74,8 / 9.000
Sistema de partida Elétrica
Sistema de lubrificação Cárter Úmido
Capacidade de óleo do motor 3 litros
Tipo de combustível Gasolina
Tanque de combustível (reserva) 14 (2,7L)
Alimentação Injeção Eletrônica
Sistema de ignição TCI
Transmissão primária Engrenagens
Transmissão secundária Corrente
Embreagem Multi-disco em banho de óleo
Câmbio 6 velocidades
Tipo de chassi Diamante
Ângulo de cáster 24º
Trail 90 mm
Pneu dianteiro 120/70 ZR 17M/C (58W)
Pneu traseiro 180/55 ZR 17M/C (73W)
Freio dianteiro Duplo disco (diâmetro 282 mm), acionamento hidráulico com ABS
Freio traseiro Disco (diâmetro 245 mm), acionamento hidráulico com ABS
Suspensão dianteira Garfo telescópico, curso de 130 mm
Suspensão traseira Monocross com link, ajuste na pré-carga da mola e no retorno, curso de 130 mm

separador



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.