Kawasaki Versys 1000 na Europa

Ela é uma moto que tem tudo a ver com o mercado brasileiro, mas só foi lançada por enquanto na Europa. A Kawasaki Versys 1000 foi apresentada no salão de milão de 2011 em meio a vários outros lançamentos no mesmo segmento. Na verdade o EICMA 2011 estava abarrotado de motocicletas estilo Maxi-Trail.

versys 1000, uma Big Trail com tudo que tem direito

versys 1000, uma Big Trail four com tudo que tem direito

Tanto sucesso fez a BMW GS no mercado mundial que acabou por definir uma classe. Muitas marcas estão lançando sua versão, cada uma puxando um pouco para o seu lado: mais estradeira, mais touring ou mais para uso na terra; Ducati Multistrada, Triumph Tiger, Yamaha Superténéré, Honda Crosstourer e tantas outras. Aqui está a nova Kawasaki Versys 1000 já disponível na Europa.

Veja o vídeo oficial da Kawasaki:

Para essa classe de motocicleta o que vale é a versatilidade. Tem que andar em qualquer terreno, propriamente no estilo que envolve uma aventura. Seja por caminhos curtos e acidentados ou longas distâncias em grandes espaços desertos.

Versys 1000, chassi de alumínio e rodagem de 17 polegadas

Versys 1000, chassi de alumínio e rodagem de 17 polegadas

A Versys 650 tem como grande característica uma vocação mais estradeira que suas concorrentes. Assim também é a Versys 1000. Suas rodas são de liga leve de 17 polegadas e o chassi é de alumínio fundido que promete uma estabilidade excepcional, mas tende a transmitir mais os choques ao piloto. Por isso as motos mais afeitas ao off-road mantém rodas raiadas de 21 polegadas em chassi de aço. A Kawasaki mostra que acredita nessa fórmula apresentada na Versys 650 projetando a 1000 com a mesma receita.

A suspensão dianteira, KYB de 43mm de nova geração conta com o sistema Big Piston (de 25mm contra 20 das suspensões convencionais) de paredes mais finas, mas não menos resistentes que perderam 205g em relação ao garfo convencional. Tem curso de 150 mm e regula o amortecimento na extensão e retorno pelo lado direito e as cores das bengalas podem ser douradas no modelo cinza e prateado no modelo branco.

Garfo dianteiro de pistões grandes consegue maior sensibilidade ao terreno

Garfo dianteiro de pistões grandes consegue maior sensibilidade ao terreno

A suspensão traseira também tem 150mm de curso e o sistema todo de links e amortecedor fica por cima da balança para proporcionar espaço sob ela para a antecâmera do escapamento, que assim permite maior concentração de massas. Outra vantagem é que essa configuração mantém o calor longe do sistema hidráulico. Um botão rotativo regula a pré-carga da mola para um ajuste rápido e fácil.O guidão é largo para permitir posição ereta e relaxada e o banco é grande e espaçoso. Há também apoio para um garupa, as pedaleiras são mais baixas (do que a Z1000) e o pára-brisa é ajustável.

O chassi de alumínio fundido é de dupla trave e conta com o motor como parte de sua estrutura. Ele é composto por cinco peças fundidas: a caixa de direção, duas barras principais direita e esquerda com dois elementos transversais. Os dois elementos principais do chassi que se apresentam com seção transversal em “C” são fundidos sob pressão para terem um acabamento liso. Peças adicionais tubulares reforçam a estrutura pelas laterais para um perfeito entrosamento com a suspensão de curso longo.

Suspensão traseira cede espaço para o escapamento sob a moto

Suspensão traseira cede espaço para o escapamento sob a moto

As soldas são em número mínimo para manter o aspecto da moto e o motor é afixado em quatro pontos no chassi para fazê-lo ajudar na estrutura e suportar grandes forças e torções. O subchassi traseiro é composto por tubos de aço treliçados que permite eleveda capacidade de carga na Versys 1000.

Os freios dianteiros são duplos, no estilo margarida e são de 300mm com pinças de 4 pistões opostos. Na traseira um disco margarida de 250mm conta com um pistão e o sistema ABS é item standard nessa moto na Europa. Segundo a fábrica, esse sistema é o menor do mundo e traz nova especificação, como o da ZX10, e presta um controle de extrema precisão, tendo a pressão na linha hidráulica do traseiro monitorada para manter o controle, sem travar. Esse sistema de última geração promete responder com precisão os comandos do piloto.

Motor da Z1000 foi modificado para se adequar às características da moto

Motor da Z1000 foi modificado para se adequar às características da moto

Uma moto, para ser divertida tem que ter um motor potente. Esse motor da Versys 1000 tem na verdade 1043cc com torque e potência alterados em relação ao da Z1000. A idéia da fábrica é que a moto ofereça respostas em regime médio/baixo para o torque e potência, de modo a facilitar a condução em condições mais flexíveis. Ele tem 4 cilindros, 16 válvulas e comando duplo no cabeçote (DOHC) com arrefecimento líquido. O diâmetro e curso dos pistões são 77mm x 56mm e houve pequeno comprometimento na potência máxima com as seguintes mudanças:  alteração da compressão que passou de 11,8:1 para 10,3:1 na nova câmera de combustão, novos tempos e altura nas aberturas das válvulas pelos novos comandos, novas válvulas e molas.

O coletor do escapamento tem os tubos 1 - 4 e 2 - 3 conectados para compensar ondas de fluxo

O coletor do escapamento tem os tubos 1 - 4 e 2 - 3 conectados para compensar ondas de fluxo

Os quatro corpos borboleta são de 38mm e mantém o motor reativo no regime de médias rotações e a segunda válvula borboleta oval permite maior fluidez nas respostas. Assim ao acelerar a resposta é imediata, com a colaboração do mapeamento da injeção que consegue melhores respostas em médias rotações com grande aceleração. Isso facilita a condução esportiva. O escapamento 4×1 tem os dutos 1 e 4 assim como o 2 e 3 interligados para compensar as pressões. A idéia é melhorar a resposta em todos os regimes e a pré-camera sob o motor contribui para concentração de massas em um silencioso menor.

A transmissão de seis velocidades é projetada para todas as ocasiões. A primeira e segunda marchas, mais curtas para manobras fáceis em baixa velocidade e da terceira até a sexta são mais longas para maior performance nas estradas.

O pára-brisa tem regulagem milimétrica, não precisa de ferramentas para alterar a posição no curso de 30mm para ajuste;
O subchassi reforçado permite entre carga e garupa, além do piloto, carregar até 220Kg;
O bagageiro central é bem leve e é especificado para carregar pacotes de até 3Kg mas um bauletto acessório Givi pode aumentar essa carga para 5Kg;
Sob o banco há bastante espaço para outros objetos;
Autonomia calculada para o tanque de 21 litros, 400 Km;
Computador de bordo para cálculo da autonomia;

KTRS Sistema de controle de tração

KTRS Sistema de controle de tração

O KTRC (controle de tração) tem 3 modalidades: 1 e 2 permitem maior aceleração, enquanto o 3 favorece a condução em pista molhada e escorregadia. Alem disso há o controle do mapeamento do motor com duas opções, Low (75% do total disponível) e Full, com todo potencial acionado. Assim há um total de oito combinações de controle de tração e potência disponível. O modo Full com a opção 1 do KTRC permite a tocada mais esportiva enquanto que o modo Low em posição 3 no KTRC coloca a moto na forma mais segura de conduzir.

A Kawasaki coloca no mercado mundial toda tecnologia disponivel para os seus modelos top de linha. A ZX10, ZX14, ZX6 e Concours. Todas essas já estão no Brasil. Será que a Versys 1000 também vem? Vamos aguardar.

Obs: Para facilitar a discussão sobre esse assunto criamos um espaço no final da página e no fórum para você inserir seus comentários.

Fonte: Lulop automotive

Comentários Imprimir

Destaques do Motonline


Comentários

Ao postar um comentário você concorda com as Regras para a postagem do Motonline